O alemão Mesut Ozil foi uma das revelações do Mundial 2010. O médio do Werder Bremen alinhou no lugar que deveria ser do lesionado Michael Ballack e a verdade é que poucos se lembraram do capitão germânico.

Visão de jogo, bom toque de bola e primoroso nas assistências (só na Bundesliga foram 16), Ozil revelou, no aquecimento do encontro frente ao Uruguai, de atribuição do terceiro e quarto lugar, um novo talento.

Sem bola, foi uma chiclete a saltar, redondinha da boca para o pé e deste ao ponto de partida. Classe, é certo, mas, desta feita, uma classe pouco higiénica.

Veja o malabarismo de Ozil: