Maisfutebol

Vamos ao registo.

Primeiro toque de Ronaldo. Ganha lançamento. Toque. Passe para O¿Shea, já na área. Passe errado de «Ibra». O Manchester entra forte. Ronaldo ganha canto. Sai dali o primeiro golo dos ingleses. O sueco ainda só tinha sentido a bola uma vez. Tenta ganhar de cabeça, a meio-campo. Sem efeito. Ronaldo sofre a primeira falta. Faz um cruzamento. Ibrahimovic perde para Ferdinand, faz um passe para Balotelli. Domina na área. Perde a bola.

Fim dos primeiros 10 minutos. Ronaldo vence, claro. Mas o avançado do Inter foi o primeiro da sua equipa a reagir.

O português cai sobre a direita. O sueco anda na frente, muitas vezes sozinho. Fora-de-jogo de Ronaldo, aos 12. Cruzamento aos16. Remate por cima logo a seguir. Ganha uma bola de cabeça. Dois toques com acerto. Perde de cabeça. «Ibra» tabela com Stankovic, Perde a bola. Toca de cabeça para ninguém. Sofre falta, mas o árbitro não assinala. Rodeado por cinco (!) adversários, a bola escapa-lhe.

Por esta altura, o avançado é a única porta de saída do Inter para o ataque. Ele segura a bola, movimenta-se com leveza surpreendente para um avançado tão pesado. Entre os 20 e os 30 minutos, Ronaldo esconde-se um pouco, apenas quatro acções com bola. Pelo contrário, Ibrahimovic fica perto de mudar o guião da eliminatória. Livre de Maicon, remate de cabeça à barra. Aconteceu aos 29 minutos.

Entre os 30 e os 40, o Inter cresce. Nem sinal de Ronaldo. Apenas um toque com o peito, para trás. Pelo contrário, Ibrahimovic enche o campo. Tabela, toque para Balotelli, pára no peito, isola Stankovic para jogada de enorme perigo. Mais um passe, mais um cruzamento que Stankovic desperdiça. Aos 40 recebe um passe espantoso de Balotelli e remata cruzado. Sai ao lado.

Ronaldo regressa ao jogo com um passe, um toque de cabeça e uma falta sofrida. O intervalo chega. O português é o último a tocar na bola. Prenúncio do que aí vem.

Logo a abrir a segunda parte, fantástico cruzamento de Rooney, cabeça de Ronaldo. Golo. Fim da história. Ou quase.

Ibrahimovic teve 22 acções com bola na segunda parte. Aos 74 minutos tinha rematado cinco vezes, uma delas à baliza. Esteve sempre em jogo, oferecendo soluções à equipa. Mourinho lançou Adriano, que logo rematou ao poste. Nada a fazer.

Do lado do Manchester United, Ronaldo está agora muito mais presente (19 acções). O espaço apareceu, uma vez que o Inter arrisca. É visto em lances rápidos, quase sempre pelos flancos. Sofre faltas, faz passes certos, remata. Não está ao melhor nível, nem sequer é o mais relevante na equipa. Mas ajuda a segurar o adversário. Aos 85 minutos dispõe de um livre directo. A bola sai com a marca registada, mas Júlio César defende.

Tudo somado, o Manchester foi melhor do que o Inter na eliminatória. Mas esta noite Ibrahimovic impressionou mais do que Ronaldo. Apesar do golo. E da vitória, no fundo o que estava em jogo.

Ficam os dados oficiais da UEFA, sobre cada um dos jogadores.

Ronaldoum golo, cinco remates, uma falta cometida, cinco sofridas e um fora-de-jogo (o português é o jogador da Liga dos Campeões que mais vezes remata em direcção à balizado adversário).

Ibrahimovicseis remates, uma falta cometida e outra sofrida.

A análise foi feita a partir das imagens da transmissão televisiva da SportTV