Benfica: polícia investiga transferências de Luisão e Ramires

Por Redacção       21 mai 2010, 16:02

Em causa alegada lavagem de dinheiro por parte do Cruzeiro

A Polícia Federal brasileira abriu um inquérito para investigar as transferências de Luisão e Ramires, ambos provenientes do Cruzeiro, para o Benfica. Em ambas as transacções, a polícia suspeita ter havido lavagem de dinheiro por parte do actual presidente do clube de Belo Horizonte, Zezé Perrella, e do irmão, Alvimar de Oliveira Costa, ex-presidente.

Segundo dados recolhidos pela polícia, a transferência de Luisão foi intermediada por Juan Figger, empresário uruguaio, que terá vendido os direitos do defesa ao Central Español, clube do Uruguai, por 2,5 milhões de dólares (pouco menos de 2 milhões de euros). No entanto, aquando da transferência para o Benfica, o negócio foi fixado em pouco mais de 1,5 milhões de dólares, ou seja, quase um milhão a menos. A polícia suspeita que foi usada uma forma de enriquecimento ilícito, sendo o Central Español uma ponte comercial para ocultar recursos não declarados ao fisco.

PUB

Entretanto, o Cruzeiro já emitiu um comunicado alegando que vendeu 100% dos direitos de Luisão a Juan Figger que, por sua vez, terá vendido apenas metade do passe ao Benfica, lembrando que é «uma transacção rotineira» no futebol.

Sobre a venda de Ramires, o Cruzeiro informa que o negócio foi tratado directamente com o Benfica.

Juan Figger confirmou ter participado na transferência de Luisão, dizendo ser uma venda «absolutamente normal» e confirmando que o Central Español adquiriu 100% do passe do jogador.

O processo já foi remetido ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília.

MAIS LIDAS
TOP NEWS