Conhecido como André Balada no Brasil, pelas suas incursões pelo mundo da noite, o antigo jogador de Benfica e Marítimo garante ter encontrado a salvação em 2004. Deus concedeu-lhe uma segunda oportunidade e o brasileiro ganhou novo fôlego na carreira. Joga no Botafogo de Ribeirão Preto e prepara-se para gravar o segundo álbum de música Gospel.

Não fuma, não bebe e não usa drogas. Mas já fez tudo isso. «Não em Portugal», garante André, nesta entrevista ao Maisfutebol. De qualquer forma, o jogador revela que foi afastado do Benfica devido a suspeitas de consumo de estupefacientes. Esteve no Marítimo, regressou ao Brasil e ainda voltou a representar o Marítimo, em 2004.

«Aí, ainda estava a consumir, mas não o fiz em Portugal, só quando voltava ao Brasil. Em Portugal, só fumava e bebia. Fumava um maço de tabaco por dia. Depois claro que a minha resistência não era grande coisa», reconhece o avançado, actualmente com 31 anos.

«Consumi drogas com o Jardel»

André Neles causou polémica no Palmeiras quando admitiu o consumo de drogas. O jogador não quis apontar mais nomes, mas diz que a prática é comum. Chegava aos treinos alucinado e os companheiros reparavam. Quando bebia e fumava, tomava um café para disfarçar o hálito e estava pronto. Achava ele.

O avançado não fez sucesso em Portugal e regressou ao seu país, para jogar no Vitória da Bahia, onde confessa ter começado a consumir cocaína. «Foi um período muito mau, estávamos há sete meses sem receber, e isto é como uma bola de neve. Você bebe, você fuma, depois vai uma maconha, e segue-se já a cocaína», relata.

Seguiu para o Internacional de Porto Alegre e encontrou outra figura conhecida do nosso futebol. «Ó Jardel é daquela zona e encontrámo-nos algumas vezes na noite de Porto Alegre. Consumi drogas com ele. Ele próprio já admitiu esse problema, mas felizmente também está bem agora», diz André.

Com Balboa na selecção da Guiné Equatorial

O jogador brasileiro ainda representou o Palmeiras, o Marítimo e o Figueirense. Lá, conheceu o guarda-redes Gustavo, que o convidou a frequentar a igreja. Finalmente, em Novembro de 2004, encontrou forças para largar as drogas.

André passou os últimos anos quase em branco, em lenta recuperação. Contudo, pelo meio, acrescentou um dado curioso à sua história. Um empresário descobriu que o avançado tinha uma bisavó com ligações à Guiné Equatorial e o jogador foi representar a selecção africana. Ou seja, veste as mesmas cores que Javier Balboa, enaltecendo a qualidade do companheiro. Conheça todo o relato de André Neles.

Veja André a actuar na sua igreja