Palmeiras e Corinthians disputam este fim-de-semana a segunda mão da final do campeonato paulista e ambos os clubes anunciaram para sábado, véspera do jogo, treinos abertos para os adeptos. Mas as autoridades de São Paulo pretendem impedir essas sessões por questões de segurança.

«São claques de grande rivalidade, há uma série de preocupações, como a rede de transporte», afirmou o Major Alexandre Vilariço, da polícia de choque, citado pelo GloboEsporte, lembrando que os dois estádios ficam nos extremos da mesma linha de metro.

Paulo Castilho, promotor do Ministério Público, disse ao jornal brasileiro que «seria uma irresponsabilidade ter cerca de 90 mil adeptos transitando pela cidade de São Paulo».

«A possibilidade de pessoas inocentes sejam afetadas é real. Isso sem falar na possibilidade de vandalismo», frisou o promotor do MP, lembrando que «o efetivo do metro é reduzido aos sábados». Por isso, o MP está a estudar «qual a melhor medida judicial para se evitar essa tragédia anunciada».

A decisão final do campeonato está marcada para domingo. Depois de ter vencido por 1-0 na primeira mão, o Palmeiras precisa apenas de um empate para se sagrar campeão. O Corinthians precisa vencer por dois ou mais golos de diferença.