«Quando era criança só ouvia os golos do Benfica nos relatos da rádio, por isso sou do Benfica. Tenho pena que os treinadores do F.C. Porto e do Sporting não tenham a coragem de o assumir. Não sou desonesto. Tenho pena dos que têm vergonha de o assumir», reiterou o técnico, segundo a Agência Lusa, esta sexta-feira, na antevisão da 22ª jornada.

Manuel Cajuda nunca negou o «amor» pelo clube encarnado, como aconteceu na quinta-feira, mas a «paixão» pelo Vitória é igualmente forte para ambicionar vencer o quinto encontro das equipas nesta temporada (perdeu na pré-época, no campeonato e na Taça da Liga). «A equipa vai jogar para ganhar e para ser mais feliz do que nos outros jogos com o Benfica», garantiu, até porque o ânimo é outro.

«A semana que passámos em Quiaios ajudou-nos muito. A sobrecarga de jogos de Janeiro e Fevereiro já passou e temos mais tempo para treinar. A equipa está mais forte fisicamente e isso já se notou em Braga, na segunda parte, e nos 90 minutos frente ao Belenenses», explicou o treinador, que considerou que o período mais difícil já passou (cinco derrotas em sete jogos, três delas no campeonato): «De há 15 dias para cá vejo as pessoas mais contentes, não vejo nuvens tão sombrias, isso deixa-me alegre e espero ter mais uma semana de progressão. Isso passa por um bom resultado na Luz, ou seja, pontuar ou ganhar», defendeu.

Sobre o adversário desta ronda, Manuel Cajuda considerou que «tem tido muitas dificuldades para marcar na primeira parte», desejando «ver o Vitória a criar enormes dificuldades ao Benfica».

O V. Guimarães é oitavo na tabela, com 27 pontos, enquanto o anfitrião é segundo, com 43, a dois do líder F.C. Porto.