CAMINHOS DE PORTUGAL é uma rubrica do jornal Maisfutebol que visita o dia-a-dia de determinado clube dos escalões não profissionais. Tantas vezes na sombra, este futebol em estado puro merecerá cada vez mais a nossa atenção. Percorra connosco estes CAMINHOS DE PORTUGAL. 

SANTA MARIA FUTEBOL CLUBE

O plantel do Santa Maria não é muito diferente dos grupos que se encontram no Campeonato Nacional de Séniores (CNS). Alguma experiência mesclada com imensa juventude e vontade de mostrar valor.

A equipa não tem estrelas, mas não significa que não tenha histórias curiosas. No centro da defesa, por exemplo, costuma estar um apelido bem conhecido do desporto nacional. Mas não do futebol.

Falamos de Boris Tchikoulaev, filho do antigo jogador internacional português de andebol Viktor Tchikoulaev, que fez carreira no ABC de Braga e Sporting.

Boris está na primeira temporada no Santa Maria e foi um dos que ajudou a equipa a tombar a Académica, na 3ª eliminatória. O pai já deixou de jogar há alguns anos mas o filho continua a ser-lhe logo associado.

«Conhecem-me logo, principalmente em Braga, onde o meu pai é bastante conhecido. Mal ouvem o apelido, deduzem logo que sou filho do Viktor Tchikoulaev», conta, em conversa com o Maisfutebol.

Viktor teve três filhos. Todos seguiram o futebol. «O meu irmão mais velho, o Alexei, jogou na formação do Sporting, ao lado do Cristiano Ronaldo. Está com 30 anos e já deixou o futebol. Tenho ainda um irmão mais novo nas escolinhas do Sp. Braga», revela.

O pai era apaixonado pelo andebol, mas gostava de outros desportos. «Deu-nos sempre liberdade para escolher», conta Boris.

«Aliás, a preocupação dele não era se jogávamos futebol ou andebol: eram os estudos. É curioso, mas foi o melhor conselho desportivo que nos deu: seguir com os estudos», garante.

A verdade é que Boris Tchikoulaev ouviu o pai, licenciou-se em Engenharia Informática, tirou o Mestrado e está a exercer a profissão desejada. À noite e ao fim-de-semana calça as chuteiras com a camisola do Santa Maria.

O futuro de Boris poderia ser o andebol: o Sporting não ajudou

 

Tudo poderia ser diferente, no entanto. A formação inicial de Boris foi o andebol. «Quando o meu pai foi para o Sporting tivemos de ir com ele e deixamos Braga. Naquela altura, o Sporting não tinha formação de andebol e deixámos de jogar. Inscrevemo-nos então no futebol, eu e o Alexei», relembra.

«Se calhar se o Sporting tivesse formação hoje seríamos jogadores de andebol. Nunca se sabe…», brinca.

Embora em desportos diferentes, Boris consegue encontrar semelhanças com o estilo do pai. «Ele era muito sereno e pensava bastante o jogo, até pela posição que ocupava. Acho que isso passou para mim», defende.

Viktor Tchikoulaev treina, atualmente, a equipa feminina do 1º de Agosto, em Angola. Viveu por fora a festa da Taça. Boris contou-lhe tudo e, ao Maisfutebol, partilha o desejo de apanhar o Sporting, caso ultrapasse o Santa Eulália, na próxima ronda.

«Joguei lá, gostava de os enfrentar. Mas não quero colocar a fasquia muito à frente», sublinha.