A corrida pela subida à Segunda Liga abre, a partir deste domingo, um novo ato com três eliminatórias até ao jogo decisivo que vai apurar o campeão e consagrar os dois promovidos às ligas profissionais. Em 2017/2018, há duas vagas para as oito de 80 equipas que garantiram a presença no play-off de subida.

Na prática, duas eliminatórias bastam para a festa da subida. O campeão vai já decidir-se com promoção definida. Vizela, Felgueiras, União de Leiria, Mafra, Farense foram os vencedores de série na primeira fase. Vilaverdense, Lusitano Vildemoinhos e Vilafranquense, os três melhores segundos classificados.

Em pouco mais de um mês, de 6 de maio a 10 de junho, são estes os protagonistas da fase final que vai centrar atenções no terceiro escalão do futebol português. A quinta edição da atual designação pode dar um título inédito a sete de oito equipas: só o Mafra já ergueu o troféu, em 2014/15. O último coube ao Real Sport Clube.

Vencedores do Campeonato de Portugal:

  • 2013/14: Freamunde
  • 2014/15: Mafra
  • 2015/16: Cova da Piedade
  • 2016/17: Real SC

A equipa de Queluz era orientada por Filipe Martins e venceu a final à UD Oliveirense, por 2-0. Isto após uma fase de subida que antes tivera dois grupos: um a norte, outro a sul, a oito equipas cada e cujos vencedores subiam desde logo à II Liga.

Esta época, em eliminatórias que arrancam como quartos de final, há mais ou menos margem de erro?

«É um modelo um pouco mais cruel do que no ano passado, visto ser em eliminatórias. Apenas um jogo mau, pode ditar o afastamento dessa mesma equipa para o resto da competição. Acho que, no ano passado, o modelo era mais justo e nós fomos exemplos disso. Não começámos bem e acabámos campeões», analisa Filipe Martins, técnico campeão em 2016/17, ao Maisfutebol.

Martins reforça mesmo que cada equipa tem «margem nenhuma» para errar nesta fase, caso queira subir.

Este domingo, início com Mafra-Vilaverdense, U. Leiria-Lusitano, Vilafranquense-Vizela e Felgueiras-Farense, para a primeira mão dos «quartos».

«Estão oito boas equipas no play-off. Espero quatro jogos muito equilibrados, qualquer uma das equipas pode sair vencedora», analisa Martins, lançando como possíveis candidatas três equipas e «concentração» como fator crucial. «Porque qualquer deslize pode ser fatal».

«Tenho acompanhado mais o campeonato a sul e não vejo grande diferença entre os primeiros e os segundos classificados. Parece-me que Vizela, Leiria e Farense são os principais candidatos à subida», defende o ex-técnico do Real, sem clube desde que dali saiu a meio desta época.

Quatro ex-primeira, uma pelo regresso imediato

Entre as oito equipas, três já estiveram na Primeira Liga: Farense (23 presenças) União de Leiria (18) e Vizela (1). O Felgueiras também já estive por uma ocasião, mas antes da extinção de 2005. De todas elas, os vizelenses são os únicos que podem, no imediato, consumar o regresso às ligas profissionais, após a descida do ano passado.

Das demais, há duas que procuram uma inédita presença no segundo escalão: Vilafranquense e o atual Felgueiras, criado em 2006.

No lançamento do mata-mata, o Maisfutebol traça aqui o percurso das oito equipas até esta fase:

AS CLASSIFICAÇÕES DA PRIMEIRA FASE

  • FC VIZELA:

    A equipa da terra do bolinhol venceu a série A, com 73 pontos. Perdeu apenas um jogo em 30, ante o Fafe, em casa. Marcou 53 golos e sofreu 11. Terminou com mais nove pontos que o vice-líder e também apurado Vilaverdense.

    Registo: 22 vitórias, 7 empates, 1 derrota

    Treinador: Carlos Cunha

  • VILAVERDENSE:

    Foi o segundo melhor dos segundos classificados. Concluiu a série A com 64 pontos, garantindo o apuramento a duas jornadas do fim. Foi o melhor ataque do seu grupo, com 65 golos marcados. Sofreu 29 e as quatro derrotas sofridas foram todas fora. Continua invicto no Campo Cruz do Reguengo esta época.

    Registo: 19 vitórias, 7 empates, 4 derrotas

    Treinador, António Barbosa

     

  • FELGUEIRAS 1932:

    O único apurado de uma série em que o vencedor fez menos pontos que o pior segundo classificado apurado. Os azul-grená somaram 56 pontos, levando a melhor sobre o Sp. Espinho até final. 53 golos marcados e 28 sofridos. Trocaram de técnico a meio da época, após Horácio Gonçalves ter iniciado.

    Registo: 16 vitórias, 8 empates, 6 derrotas

    Treinador, Ricardo Sousa

     

  • U. LEIRIA:

    Dominou quase por completo a série C e terminou líder, com 73 pontos. Melhor ataque entre as 80 equipas do campeonato, com 68 golos. Sofreu 21. Tal como o Vilaverdense, ainda não perdeu em casa no campeonato esta época. Acabou com oito pontos de diferença para o segundo classificado.

    Registo: 23 vitórias, 4 empates, 3 derrotas

    Treinador, Rui Amorim

     

  • LUSITANO FC DE VILDEMOINHOS:

    O emblema viseense procura uma inédita presença na atual II Liga e disputa este play-off pela terceira vez em cinco edições. O melhor dos segundos classificados somou 65 pontos e foi a melhor defesa de série, com 19 golos sofridos. Marcou 47.

    Registo: 20 vitórias, 5 empates, 5 derrotas

    Treinador, Rogério Sousa

     

  • MAFRA:

    Vencedor da série D com 69 pontos, 61 golos marcados e 21 sofridos. Não sofreu qualquer derrota em casa, foi o melhor ataque do agrupamento e a segunda melhor defesa. É a única equipa que pode acrescentar novo título neste campeonato, após a conquista de 2015.

    Registo: 21 vitórias, 6 empates, 3 derrotas

    Treinador, Luís Freire

     

  • VILAFRANQUENSE:

    O pior dos segundos classificados apurados bateu o Oriental (série E) na diferença de golos para se qualificar. Fez 63 pontos, pelo meio com troca de treinador. Vasco Matos sucedeu a Filipe Coelho.

    Registo: 20 vitórias, 5 empates, 5 derrotas

    Treinador, Vasco Matos

     

  • FARENSE:

    Ninguém mais que o clube algarvio somou na primeira fase: 81 pontos, com 66 golos marcados e 12 sofridos. Um registo impressionante da equipa cujo Estádio São Luís tem reavivado glórias de primeira, com assistências de topo. Tal com o Vizela, apenas uma derrota e em casa, ante o Casa Pia.

    Registo: 26 vitórias, 3 empates, 1 derrota

    Treinador, Rui Duarte

PROGRAMA DO PLAY-OFF

Quartos de final

1.ª Mão, 6 Maio | 2.ª Mão, 13 Maio

Mafra-Vilaverdense

U. Leiria-Lusitano FC Vildemoinhos

Vilafranquense-Vizela

Felgueiras-Farense

Meias finais

1.ª Mão, 19 Maio | 2.ª Mão, 27 Maio

Vencedor Mafra-Vilaverdense x Vencedor U. Leiria-Lusitano FC Vildemoinhos

Vencedor Felgueiras-Farense x Vencedor Vilafranquense-Vizela

Final – 10 Junho