A Federação Portuguesa de Futebol anunciou, nesta sexta-feira, que em caso de despromoção do Gil Vicente ao Campeonato de Portugal, não contará com os resultados do emblema minhoto na temporada 2018/19.

Em comunicado, a FPF recomenda também à Liga que «inclua no seu Regulamento de Competições uma garantia similar» para a mesma temporada.

Esta tomada de posição surge na sequência do memorando de entendimento assinado entre Liga, Gil Vicente e Belenenses, no âmbito do «Caso Mateus», que prevê a reintegração do emblema minhoto no principal escalão, em 2019/20.

Logo em junho de 2016, na sequência da decisão do Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa, a FPF decidiu não recorrer da decisão e defendeu a integração do Gil Vicente no principal escalão «no mais curto espaço de tempo possível». Uma posição reiterada agora, perante o memorando de entendimento, que levanta questões relativamente à temporada 2018/19 do Gil Vicente.

Se a equipa cair para o Campeonato de Portugal, a FPF anuncia desde já que «os seus jogos não contarão - a nenhum nível e de nenhuma forma - para a classificação final da competição».

Caso o emblema gilista continue nos escalões profissionais, a decisão será - pelo menos em primeira instância - da Liga, e o comunicado federativo recomenda que seja adotada medida idêntica, embora não seja esclarecedor quanto à possibilidade de uma presença no principal escalão já em 2018/19 (quer seja garantida no campo ou na sequência do «caso Mateus»).

Eis o comunicado da Federação Portuguesa de Futebol, na íntegra:

Na sequência do comunicado da Direção da FPF de 13 de Dezembro do corrente ano, e analisada a questão essencial - a salvaguarda da integridade das competições de futebol em Portugal -, a FPF informa que:

  1. Garantirá que, se o Gil Vicente Futebol SDUQ, LDA disputar o Campeonato de Portugal na época desportiva 2018/2019 em razão do desempenho desportivo na presente temporada, os seus jogos não contarão - a nenhum nível e de nenhuma forma - para a classificação final da competição;

     

  2. Recomenda - por agora e sem abdicar de nenhuma das suas competências - que a Liga Portuguesa de Futebol Profissional inclua no seu Regulamento de Competições uma garantia similar para a época desportiva 2018/2019.