O Maisfutebol desafiou os jogadores e treinadores portugueses que atuam no estrangeiro a relatar as suas experiências para os nossos leitores. São as crónicas Made in Portugal:

PEDRO OLIVEIRA, US CRÉTEIL-LUSITANOS (FRANÇA)

«Olá, leitores do Maisfutebol.

Tendo como uma verdade absoluta que tudo na vida é efémero, na vida da bola é ainda mais intensa esta realidade.

Se, há dose meses, escrevia neste espaço sobre as vitórias e alegrias que tinha semana após semana, com o US Créteil-Lusitanos, agora... as coisas mudaram...

Em 2012/2013, batemos recordes de tudo: vitórias, golos marcados e equipa que garantiu a subida de divisão mais cedo.

Já este ano...estamos na luta para não descer...Temos a segunda pior defesa do campeonato e não fossem as vitórias recentes contra a Laval e Tours, estaríamos na zona de descida e seríamos a pior equipa de 2014 na Ligue 2 francesa!

Se, no ano passado, eu era titular, marcava e dava a marcar, participava em 37 dos 38 jogos do campeonato e passava uma época imaculada em termos de lesões, este ano só me estreei no campeonato neste domingo...

As lesões são o pior que há no futebol, pior até que salários em atraso. Tive uma pubalgia que me impediu de fazer o que mais gosto e, em virtude de termos neste clube um posto médico (?) ao nível de um Ramaldense ou de um Carcavelinhos - com todo o respeito por estas instituições -, consegui ainda um bónus: uma tendinite no rotuliano (a mesma de Cristiano Ronaldo).

Nem tudo são ‘espinhos’. Nas últimas jornadas já fui convocado e neste domingo acabei por entrar. Já me treino normalmente há algum tempo, mas isto porque fui a Portugal curar-me...

O meu colega Ludovic também tem sentido na pele esta realidade, visto que está há dois meses a recuperar de uma simples entorse no tornozelo.

Mas há luz ao fundo do túnel! Entrou um novo diretor desportivo, Luís Sousa (tuga, pois claro) e já promete ‘arrumar a casa’!

E como sempre, estamos na luta!

Próximo objetivo... JOGAR MAIS.

Depois, manter o USCL na 2ª Liga e, por fim, renovar contrato para o próximo ano.

Mudando um pouco de assunto...O BOAVISTÃO está de volta!!!

Grande alegria me deram e a toda a família Oliveira.

Nascido e criado nos bairros ao redor da Avenida da Boavista, entrei para as camadas jovens do mestre Jaime Garcia em 88/89 e só saí no fim da minha formação em 2000/2001.

 

Tenho um grande carinho pelo emblema axadrezado e apesar de não ter uma opinião imparcial, acho que estas camisolas fazem muita falta ao campeonato nacional!

Uma palavra de apreço para todos os ‘fiéis’ que mesmo nas horas difíceis nunca se afastaram do seu clube do coração.

Esses (os adeptos) são a força e a imagem do Boavista!

Espero que quem dirige o clube, não caia em velhos hábitos e que o clube da 1º de Janeiro volte a ser aquele clube de bairro que faz cair os grandes com a sua garra e vontade.

Espero que apreciem. Grande abraço!

Pedro Oliveira»

Conteúdo editado por: Vítor Hugo Alvarenga