O Maisfutebol desafiou os jogadores e treinadores portugueses que atuam no estrangeiro, em vários cantos do mundo, a relatar as suas experiências para os nossos leitores. São as crónicas Made in Portugal:

VÍTOR LIMA, IRAKLIS (GRÉCIA):

«Olá a todos!

Esta é a primeira crónica que escrevo e como tal passará um pouco pela minha apresentação e por escrever sobre os clubes por onde passei até este momento. No futuro contarei algumas histórias que tenho vivido ao longo destes anos como jogador profissional de futebol.

O meu nome é Vítor Lima e tenho 32 anos. Comecei no Vitória e fiz toda a minha formação no clube de Guimarães. Entrei com oito anos e só saí de lá com vinte!

Depois disso, fui jogar para Espanha, representando o Salamanca e mais tarde o Legánes na Segunda Liga espanhola.

Acabei por regressar a Portugal, jogando três anos nos Caçadores das Taipas e depois um ano no Académico de Viseu, sempre na II Divisão B.

A certa altura, em 2005, voltei a sair do meu país para nunca mais voltar. Até este momento, pelo menos. Já são nove anos, sempre a jogar no estrangeiro. Estive três épocas na Escócia, ao serviço do Falkirk, seguindo-se o Ethnikos Piraeus e o Doxa Dramas na Grécia.

Estive ainda um ano no Chipre, representando o Ethnikos Axnas, mas acabei por regressar à Grécia, onde me encontro atualmente.

Nesta altura defendo as cores do Iraklis e estamos a lutar nos ‘play-offs’ pela subida ao escalão máximo do futebol grego. 

Aqui fica um resumo da minha carreira, em jeito de apresentação, para que os leitores fiquem a saber um pouco mais sobre mim. Num futuro próximo, voltarei a escrever para falar mais deste percurso que tem sido feito nos últimos anos longe de Portugal.

Deixo um agradecimento ao Maisfutebol por nos ter dado esta oportunidade de não sermos esquecidos como, infelizmente, acaba por acontecer muitas vezes.

Um abraço para todos e até breve,

Vítor Lima»

Conteúdo editado por: Vítor Hugo Alvarenga