«Foi benéfico ter feito alguns minutos, claro que preciso de mais jogos, mas foi bom jogar e ganhar [à África do Sul]. É certo que tratava-se de um particular, no jogo de apuramento [com a Suécia] não marcámos e aço que estamos com problemas em qualificarmo-nos, mas, se vencermos os últimos cinco jogos, talvez tenhamos hipótese», admitiu o internacional português.

Depois, Deco passou em revista a história da lesão muscular que preocupou Guus Hiddink: «Na semana anterior tinha treinado bem e muito e estava confiante. Senti uma dor e foi uma desilusão. Mas recomecei uns dias depois e tive esperança de jogar esta temporada.»

Assim, «o importante é estar recuperado e poder ajudar a equipa nos encontros que faltam», o primeiro dos quais frente ao Newcastle, que esta semana nomeou Alan Shearer como técnico.

«Mudaram de treinador, portanto, no primeiro jogo há sempre uma grande reacção, sei que Shearer é como um deus, foi um grande jogador do Newcastle e que o clube está num buraco, mas vamos ver o que acontece e, como é evidente, acho que conseguimos vencer», concluiu Deco.