Esta é uma história inglesa que encontra algum paralelo em Portugal. Paulinho é roupeiro do Sporting há décadas e embora Neil Baldwin tenha passado pelo Stoke City por um período menor deixou uma marca grande no clube.

A BBC decidiu passar a filme a vida deste homem, quase septuagenário, que já foi palhaço, roupeiro e recebeu uma licenciatura honorária, sem nunca ter sido estudante um dia que fosse na vida.

«Marvellous» é o nome do filme baseado nesta história real e Toby Jones o ator que dá vida à personagem principal. Tal como o roupeiro do Sporting, Baldwin nasceu com limitações no desenvolvimento, mas isso não o impediu de levar uma vida extraordinária, que tocou futebolistas, homens da Igreja e políticos.

Baldwin nasceu em Newcastle-under-Lyme (não confundir com Newcastle-upon-Tyne, casa do clube da Premier League) e deixou de estudar ainda adolescente.

Em criança, sempre quis ser palhaço. Por isso, juntou-se ao Sir Robert Fossett's Circus e durante anos ficou conhecido como «Nello the Clown».

Em 1960, visitou a Universidade de Keele pela primeira vez. Saiu de lá com uma licenciatura honorária. O filme conta mais, mas basta dizer que Neil Baldwin era alguém que acolhia alunos, confraternizava com professores e ali conheceu futuros políticos, dos quais ainda hoje é amigo, uma condição que faz questão de sublinhar em relação também ao arcebispo da Cantuária.

Num depoimento ao The Guardian, o antigo aluno de Keele e presidente da câmara de Newcastle-under-Lyme nos anos 70, Malcolm Clarke contou que Baldwin sempre falou da grande amizade que tinha com alguns dos maiores futebolistas ingleses: Kevin Keegan, Gordon Banks, Graham Taylor e outros.

Clarke referiu àquele jornal que os alunos acharam sempre que tudo era uma fantasia de Neil Baldwin, até que um dia o viram chegar no carro de um jogador do Stoke City, que lhe tinha dado uma boleia.

Malcolm Clarke conheceu depois os futebolistas, que lhe disseram que conheciam Baldwin muito bem. Embora duvidassem muito sobre a história dele ser amigo do presidente da câmara de Newcastle-under-Lyme.

Há sete páginas dedicas a Baldwin na autobiografia de Lou Macari, antigo jogador do Manchester United e ex-treinador do Stoke. É nesse livro que se confirma esta história de Baldwin. «Conheci Lou Macari à porta do estádio, estivemos a falar ele decidiu nomear-me roupeiro da equipa principal.»

Numa só frase, Macari descreve a importância do protagonista real de «Marvellous»: «A melhor contratação que alguma vez fiz.» 

Baldwin chegou a surgir vestido de galinha na linha lateral, para além de ter feito outras palhaçadas que enchiam de riso o grupo às ordens do antigo jogador do ManUtd.

Uma vez, Macari disse-lhe para se vestir de fato e gravata e, quando chegaram a Hartlepool, disseram que ele era Lord Baldwin. Nello foi tratado com toda a deferência exigida a um lorde, sem que ninguém se apercebesse da real identidade do kit-man.

Neil Baldwin não recebeu uma libra como roupeiro do clube. Mas tem livre acesso a todos os jogos dos Potters e chegou a entrar em campo pelo Stoke. Num jogo de homenagem a Gordon Cowan, do Aston Villa, Macari lançou-o a cinco minutos do fim: um dos episódios reais retratados no filme da BBC.

A história inspiradora deste homem não se fica por ali. Em 1967, fundou o Neil Baldwin Football Club, cujo presidente em «Marvellous» é Gary Lineker. Kevin Keegan teve essa honra na vida real.

Neil Baldwin continua a frequentar a Universidade de Keele e a assistir aos jogos do Stoke City. Em setembro deste ano, altura em que a BBC lançou a película, recebeu uma standing ovation no Britannia Stadium.

Um estádio inteiro emocionado com um homem que apenas quis ser feliz. E é, apesar de todas as limitações. 

Desconto de tempo é uma rubrica do Maisfutebol, de Luís Pedro Ferreira. Junta desporto e cultura, sobretudo o que é novidade. Sugestões? Siga para lpferreira@mediacapital.pt