Os jogadores lembram o facto de «os problemas não estarem resolvidos», e dizem-se «abandonados» perante «sucessivas promessas», mas ainda assim decidiram acabar com as greves. «O plantel não vai querer que lhe seja imputada qualquer responsabilidade do que pode vir a acontecer, nunca deixando de lutar pelos nossos direitos», refere ainda o comunicado, com os jogadores a dizerem que não querem estar envolvidos em «guerras, boatos e insinuações» que ponham em causa o seu profissionalismo.

O plantel do Estrela da Amadora esteve vários dias sem treinar, nas últimas semanas. Nesta quarta-feira o trabalho voltou a normalidade, com o técnico Lázaro Oliveira a orientar um treino de preparação para o jogo com o F.C. Porto.