Hoje começa o Euro 2016 de Futsal e as expectativas estão em níveis máximos, Portugal é uma das melhores seleções em prova e ambiciona vencer uma grande competição internacional, feito que persegue há vários anos sem nunca o alcançar.

Este ano a seleção de todos nós apresenta-se, após uma renovação ponderada e devidamente preparada pela equipa técnica nacional, num excelente momento, tem o melhor jogador do mundo e o melhor pivô da melhor liga do mundo, tem um grupo de jogadores sólido, unido e de muita qualidade, desde os mais novos até aos mais experientes. É assim, de esperar uma grande campanha neste europeu.

É fundamental entrar a vencer nestas provas de curta duração, por todas as razões e mais algumas, a margem de erro é diminuta e Portugal tem a obrigação de entrar bem e vencer o seu grupo. Não vejam isto como pressão, mas sim como confiança, os jogadores nacionais estão mais que habituados nos seus clubes a conviver com esta pressão competitiva e a torná-la numa força intrínseca ainda maior, faz parte do seu dia-a-dia.

Na segunda fase da prova tudo muda, estaremos na fase do tudo ou nada e aí teremos, de uma vez por todas, de acabar com o estigma de ganhar sempre aos mesmos e perder sempre contra os mesmos. Itália, Rússia e Espanha serão os principais alvos a abater e não vale a pena escolher.

Eu tenho a certeza que este vai ser o ano em que tudo vai mudar e que vamos mostrar com toda a nossa categoria e o valor do nosso coletivo e das nossas individualidades.

Não tenho dúvidas, 2016 vai ser o ano do nosso europeu.

* Licenciado em Ciências do Desporto - Especialização em Futebol pela FMH, Mestre em Ciências Farmacêuticas e doutorando em Treino Desportivo pela Universidade Lusófona. Treinador profissional de Futsal, modalidade à qual está ligado desde 1992, foi treinador do Sport Lisboa e Benfica, Clube de Futebol Os Belenenses e Sporting Clube de Portugal. É formador de Futsal desde 2002 e Co-fundador da Futsal+.