Depois de quatro meses de fora, Iker Casillas voltou a ser titular do FC Porto no campeonato. No final da partida, Sérgio Conceição explicou a aposta no experiente guarda-redes com o «momento da equipa». 

«Houve um ou outro jogo em que o Sá não esteve tão bem e continuou a jogar. Não foi por culpa desse jogo [Liverpool]. Temos de tomar opções. Em cima da mesa está o momento do jogador, o que ele representa, o momento da equipa. Ponderei e decidi. Felipe e Corona também entraram, não houve só uma mudança. Era um momento importante para apostar no Iker.»

«O Iker é importante na equipa e no balneário. Tem um pouco mais de experiência e há momentos em que isso conta. Senti que o momento da equipa, em função dos 5-0, pedia que o Iker jogasse. Não é nenhum castigo para o Sá, em Chaves teve rendimento fantástico. Hoje foi o Iker, vamos ver nos próximos.»

[sobre a reação à derrota contra o Liverpool]

«Era esta a resposta que esperava. Na atitude, na determinação. Sabemos que os jogos têm a sua história e pode acontecer tudo, mas queria essa revolta de sentir que podíamos ter feito mais no jogo anterior…»

«Esse jogo contra o Liverpool não nos podia condicionar. E foi isso. Sei o grupo que lidero. Mesmo depois das derrotas anteriores, as duas, a equipa deu sempre resposta positiva. Hoje podia não haver um resultado positivo, mas a equipa tinha de ter paixão, vontade de condicionar o adversário e ter ambição. E conseguimos.»

[sobre os 45 minutos em falta contra o Estoril]

«Somos uma equipa muito objetiva. Não fomos assim hoje por causa do jogo no Estoril. Ainda nem falámos nesses 45 minutos. É um jogo especial, com situações diferentes. Tenho de pensar bem nesse jogo. Se algum titular nesse jogo sair da equipa, tem de ir para a bancada, por exemplo. É um jogo diferente, mas vamos meter no jogo o que metemos sempre: grande vontade de ganhar e procura no golo.»