Majeed Waris ficou pela terceira vez de fora da lista de convocados do FC Porto. Um cenário que o ganês nunca tinha enfrentado desde que chegou ao Estádio do Dragão, em meados de dezembro.

Waris foi chamado para a meia-final da Taça da Liga diante do Sporting. Ao minuto 81 desse encontro, o avançado entrou para o lugar de Sérgio Oliveira, estreando-se com a camisola azul e branca. Disputou um total de 27 minutos nas duas partidas seguintes ante Moreirense e Sporting de Braga. 

Após ficar fora dos eleitos de Sérgio Conceição na receção ao Sporting, Waris jogou cerca de meia hora na visita dos dragões a Chaves. Repetiu o tempo de jogo na receção ao Liverpool e não saiu do banco na goleada (5-0) imposta pelo FC Porto ao Rio Ave.

Pelo meio, o FC Porto jogou a segunda parte do encontro do Estoril, sendo que o ganês estava impedido pelos regulamentos de jogar. Vinte minutos em Portimão, antes do primeiro jogo como titular frente ao Liverpool, em Anfield Road. Repetiu a titularidade no desaire do FC Porto em Paços de Ferreira e, desde aí, nunca mais entrou na ficha de jogo.

O português Cafú partilhou o balneário com o Waris durante um ano no Lorient e confessou que esperava que o antigo colega jogasse mais vezes pelo FC Porto.  

«Não encontro nenhuma explicação para o facto do Waris jogar pouco. Todos sabemos que o FC Porto é um grande clube e que o nível de exigência é alto. Ainda assim, esperava que ele jogasse mais», referiu, em conversa com o Maisfutebol.

O atual jogador do Legia Varsóvia destacou ainda que o profissionalismo do internacional ganês. «É um jogador que trabalha bem durante a semana. É muito profissional no trabalho diário.»

Waris tarda em afirmar-se nos azuis e brancos. Em três meses no Dragão, disputou oito jogos – dois deles como titular. Tarda em expor todas as qualidades que possui e que levaram o FC Porto a negociar o seu empréstimo com o Lorient.

«O Waris caracteriza-se por ser um jogador muito rápido que pode atuar no corredor esquerdo ou no centro do ataque. Conjuga a versatilidade e a velocidade com um forte pontapé», define Cafú.

Artigo originalmente escrito às 16h57