Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, não concorda que o Sporting tenha usufruído de mais oportunidades para marcar no Dragão. E lamentou, de resto, a forma como a sua equipa não soube definir algumas transições na fase final.   

«Na parte final, o Corona tinha dois lances em que poderia ter decidido de outra forma. O Marega, se dá mais um toque na frente, encosta para golo, porque o Patricio nada podia fazer. Na primeira parte o Marega enviou uma bola ao poste e tem também o lance isolado.»

[Sobre a pressão do Sporting no segundo tempo e a entrada de Reyes]

«Importante é que continuamos a criar muito e fizemos mais um golo do que o adversário. A equipa entrou forte, a querer condicionar. O Sporting é uma equipa competitiva. Hoje foi um jogo competitivo. Não estou de acordo com o que disse Jesus. Houve, realmente, uma oportunidade do Leão e a saída do Casillas sobre o Montero. Nós tivemos a bola do Marega e uma ou outra transição. Isso [subida do Sporting] coincidiu com a entrada do Reyes. Baixámos porque foi a indicação. Era normal que o Sporting tentasse arriscar tudo. Entrar o Reyes e não o Oliver teve a ver com essas situações. É verdade que nos últimos minutos podíamos ter saído com critério e não meter a bola na frente, mas isso também faz parte do que é segurar uma vantagem.»

 

[Sobre a luta pelo título]

«No nosso balneário não há nenhum quadro com os pontos que faltam. Olhamos para os jogos que aparecem pela frente. Preparamos cada jogo sabendo que, á medida que se aproxima o fim do camepoanto, são autenticas finais. Acho que os três clubes vao perder pontos, o Sporting não está fora. Vamos ter uma luta até ao fim. Notou-se nos jogadores um estofo que normalmente têm as equipas que lutam por campeonatos. Sentiu-se essa ambição nos jogadores. O Sporting vai estar na luta e ficou mostrado num bom jogo que fez hoje. Não é demagogia, é que sinto. Se estamos numa posição privilegiada em relação ao sporting? É claro que sim.