O primeiro «bis» na liga portuguesa. Dois golos ao FC Porto no Estádio do Dragão que significaram a vitória do Arouca. Dois golos marcados a Iker Casillas. Walter González é a Figura da 21ª Jornada para o Maisfutebol.

Aos 20 anos, o jovem avançado do Paraguai mostrou-se em Portugal poucos jogos depois da sua estreia no futebol europeu. Sem hesitações, fez-nos a confissão sobre a sua noite de domingo tão gloriosa: «O dia de ontem será inesquecível. E será a base de toda a minha carreira.»

Walter González chegou a Portugal em forma de prenda de Natal para o Arouca. Ao primeiro jogo a titular na Liga retribuiu com dois golos que impuseram a primeira derrota caseira do FC Porto na prova – depois de o Arouca já ter batido o Benfica em Aveiro na primeira volta.

Ao seu nível particular, o avançado paraguaio que veio emprestado pelo Olímpia por uma época e meia nesta janela de transferência de inverno fez o quinto jogo no campeonato (depois de quatro vezes entrado a partir do banco) e elevou para três a conta pessoal de golos na Liga. O nº95 do Arouca fez ainda mais dois jogos na Taça da Liga (titular) e outra na Taça de Portugal (suplente utilizado).

Depois do jogo de domingo, as coisas mudaram. «Estou num sonho. Estou a responder a mensagens do Paraguai, de todo o lado», conta a respeito de um dia seguinte em que não parou para responder a muitas solicitações. E está a gostar: «Estou contente por estar a viver um grande momento.»

Walter González marca o segundo golo do Arouca no Estádio do Dragão

Não é todos os dias que uma equipa vai ganhar a casa do FC Porto. Walter González sabe disso, recorda a «partida difícil» que o Arouca teve pela frente. E concorda que este foi até agora «o jogo mais importante da carreira.

Porque também não é todos os dias que se marca dois golos a Iker Casillas. No meio da felicidade – e das solicitações – o paraguaio não se esqueceu da humildade de saudar o rival batido, também seu ídolo além de adversário. O avançado de 20 anos formado no Olimpia («Marco golos desde 1992» – lembrou ) fê-lo em nome próprio nas redes sociais.

Passavam 10 segundos de jogo quando Walter González abriu o marcador no Dragão para o golo mais rápido da Liga 2015/16. Quem ouve o paraguaio falar do lance conclui que não foi por acaso: «Nós treinamos durante a semana. Sabíamos que o Porto ia sair com força. E sabíamos que se saísse essa jogada era bom.»

Também o seu segundo golo não aconteceu apenas pela falha de um adversário. Até como que começou nas indicações de Lito Vidigal. «O técnico diz-nos que temos de pressionar quando perdemos a bola. Ele tentou fazer-me um túnel e eu aguentei», recorda sobre o lance que depois de finalizado significou mais três pontos para o Arouca.

À 21ª jornada, o sétimo lugar mantém-se como a realidade com que se vai aproximando o último terço do campeonato. «A equipa está mentalizada no que quer, no que podemos fazer, no que queremos fazer», assegura o avançado do Arouca.

Ao primeiro jogo a titular, Walter González tornou-se o décimo primeiro jogador de uma equipa visitante a marcar (pelo menos) dois golos ao FC Porto em jogos oficiais no Estádio do Dragão (inaugurado em novembro de 2003). Passar incógnito entre os defesas é coisa que já não acontecerá. Mesmo que ele ainda o deseje. «O melhor era que eles não me marcassem...», diz a rir...