O antigo defesa Roberto Carlos desvendou o mistério em torno do célebre golo de livre que apontou à seleção de França, em 1997, e reconheceu a importância do vento na trajetória que o esférico descreveu até à baliza do guardião Fabien Barthez.

«A bola ia completamente desviada, mas o vento retificou a sua trajetória até à baliza. Foi um milagre», admitiu o ex-internacional brasileiro ao «L’Equipe».