O desfecho relança a discussão pelos primeiros lugares na Liga espanhola e deixa o Real a apenas um ponto do seu adversário desta tarde. Em função dos outros resultados deste fim de semana, pode provocar um engarrafamento na frente, já que o Sevilha pode igualar os catalães, e Valência e At. Madrid podem ficar a dois pontos. 

Recorde os lances marcantes do jogo  

O jogo que marcou a estreia oficial de Luis Suarez, que Luis Enrique promoveu à titularidade, começou da melhor maneira para os catalães, que ainda antes do quarto minuto viram Neymar aproveitar os espaços concedidos por Carvajal e Pepe e bater Casillas com um remate rasteiro, após um passe longo de Suarez.

O uruguaio começava na ala direita e mostrou-se bem integrado na dinâmica ofensiva da equipa. O problema, entretanto, era no equilíbrio defensivo, já que os espaços concedidos a Marcelo tornavam o lateral brasileiro um dos protagonistas da priemira parte – e o grande alimentador da reação merengue após o golo sofrido.

Resultados e classificação

Já depois de Bravo ter negado o golo a Benzema, e de Casillas ter feito o mesmo perante Messi, Marcelo entrou na área pela esquerda e cruzou rasteiro, para Piqué cortar com o braço. Penálti claro, que Cristiano Ronaldo converteu de forma competente, acabando com o registo de invencibilidade do Barcelona: o recorde de 754 minutos sem sofrer golos caía aos pés do internacional português, que apontava o seu 16º golo na Liga e somava o 11º jogo seguido a marcar pelos merengues (19 golos, contando com a Liga dos Campeões).

Os dados estatísticos de Cristiano Ronaldo

Era o 14º golo de Cristiano Ronaldo em clássicos e, acima de tudo, o ponto de viragem num jogo que, com o passar do tempo, foi mostrando um Real mais confortável. No início do segundo tempo, Pepe saltou mais do que toda a gente, beneficiando de uma «cortina» de Sergio Ramos, após canto na direita (50 minutos) e o jogo virou de vez, tanto mais que aos 55 minutos Casillas voltou a ser decisivo, com uma grande defesa a negar o empate a Mathieu.

Luis Enrique mexeu na equipa, mas o Barcelona perdeu consistência e expôs-se aos contra-ataques merengues. Aos 60 minutos, após um canto dos catalães, Iniesta perdeu para Isco, que tentou lançar Cristiano Ronaldo. O passe saiu curto e o português improvisou, virando o jogo para James. O colombiano, tal como tinha feito em Anfield, assinou uma assistência deliciosa para a conclusão de Benzema, um dos melhores em campo.

O golo acabou com as dúvidas, e o Real poderia mesmo ter ampliado a diferença nos minutos finais, desperdiçando vários contra-ataques perante um Barcelona pouco organizado, e pouco inspirado, a à imagem de Messi.

As equipas:

REAL MADRID: Casillas, Carvajal, Pepe, Sergio Ramos, Marcelo; Kroos, Modric (Arbeloa, 88), James, Isco (Illarramendi, 85), Cristiano Ronaldo e Benzema (Khedira, 87).

BARCELONA: Bravo, Alves, Mascherano, Piqué, Mathieu; Busquets, Iniesta (Sergi, 72) e Xavi (Rakitic, 59); Luis Suárez (Pedro, 69), Messi e Neymar.

Marcadores: Neymar (3 m); Cristiano Ronaldo, (34 gp), Pepe (50 m); Benzema (60 m).