O Manchester United arrancou a Premier League 2018/19 com uma vitória (2-1) diante do Leicester City. Um triunfo importante, mas sofrido.  Em suma, época nova, hábitos antigos. 

Os diabos vermelhos viveram um início de sonho. Logo aos três minutos, um braço na bola de Amartey - lateral, atrás de Ricardo Pereira - atirou o capitão Paul Pogba para a marca dos onze metros. Com classe e tranquilidade, o campeão do mundo pela França inaugurou o marcador.

A partir do minuto três até ao intervalo pouco mais se viu o Manchester United em termos ofensivos. A equipa de Mourinho recuou, concedeu a iniciativa ao adversário e procurou sair em transição. A estratégia pouco efeito surtiu, já que os passes de Mata ou Sánchez nunca entraram. Valeu ao United a qualidade posicional e de passe da dupla Fred-Andreas Pereira, aliada à rebeldia do futebol de Pogba.

FILME E FICHA DE JOGO

Pelo meio do interregno ofensivo da formação visitada, houve muito Leicester. Dono e senhor da bola, a equipa de Puel demorou 25 minutos a criar uma soberana ocasião para marcar. Ricardo Pereira recebeu na direita - exibição prometedora - e deixou Maddison em carreira de tiro. Como em tantas outras ocasiões no passado recente, valeu De Gea a impedir o golo contrário.

Pouco depois, Lindelof impediu o pontapé certeiro de Ilheanacho. Esse lance despertou o United que subiu linhas e começou a jogar perto da baliza de Schmeichel. Rapidamente, os red devils criaram uma situação para dilatar a vantagem, porém, Alexis precipitou-se e cabeceou por cima.

A etapa complementar começou quezilenta e teve poucos lances de interesse. Valeu o pé esquerdo de Mata a animar as bancadas de Old Trafford. Contudo, o pontapé em arco do espanhol saiu ao lado.

A partir daí, foi a altura dos treinadores mexerem. Mou apostou em Lukaku e McTominay, enquanto Puel lançou Vardy e o reforço Ghezzal. Quase de imediato, De Gea negou o tento a Ilheanacho. Na resposta, Lukaku falhou o que não é habitual: sozinho, dentro da área, atirou para defesa do gigante dinamarquês do Leicester.

O tento da tranquilidade surgiu por Luke Shaw. Mata colocou-lhe a bola na esquerda, o lateral ultrapassou Ricardo Pereira e atirou cruzado para o 2-0. Já sem Adrien em campo - deu lugar a Iborra - o Leicester conseguiu foi reduzir, por Vardy, após Ricardo ter atirado ao ferro. 

O período de compensação foi sofrido, mas o United sobreviveu e conquistou os primeiros três pontos do campeonato. Venceu, mas não convenceu.