O que mais me desmotiva em relação a este FCP é a grave incapacidade de fazer bons jogos. Na minha opinião há um claro decréscimo de qualidade futebolística, algo que não devia acontecer, pois o treinador é o mesmo desde há três anos.

E não podem ser os momentos de forma e as lesões a explicar a falta de um fio de jogo, a falta de modelos alternativos, a falta de uma segunda linha de soluções.

A resposta tem que estar no corpo técnico. A esse propósito parece que a saída do Carlos Azenha teve um efeito muito nefasto na preparação táctica da equipa. A inclusão do José Gomes não terá acrescentado nada ao nível táctico.

Quanto à questão de fazer evoluir novos jogadores, julgo que quando o clube é bom, é vencedor e participa regularmente nas competições europeias, como é o caso do FCP, tal acaba por acontecer naturalmente. O Mister tem mérito nesse aspecto, como tiveram Mourinho e Adriaanse - só para falar nos mais recentes.

Relativamente à questão português/estrangeiro, não sou fundamentalista ao ponto de dizer estrangeiros não. A minha posição é moderada e vai de encontro à mais consensual de todas as posições: estrangeiros sim, mas sob duas condições - 1º de qualidade; 2º que não existam jogadores portugueses para suprir essa necessidade.

Cumprimentos Portistas, rumo ao Tetra!