«O Hulk não era tão mau como queriam fazer parecer nem é tão bom como o fazem agora. Está numa equipa que está habituada a jogar estas competições, sabe da importância deste jogo. Sabe que, na etapa de crescimento em que está como jogador, anda tem muito para aprender. Sabe que o jogo de amanhã é um jogo à sua medida», afirmou o treinador, prosseguindo um raciocínio que prevê um grande futuro para o jogador, mas defende que precisa de tempo.

«Não é um produto acabado. Está muito longe de estar acabado. Está a começar, ele tem consciência disso. Ele é apenas um jogador do F.C. Porto amanhã», afirma. «Como tem sido norma deste clube, pelo menos desde que cá estou, todos os anos nos atribuem dependência de determinados jogadores. O Porto tem provado nos últimos seis, sete jogos, que isso não é verdade. Não é ele a figura da equipa, está longe disso.»

O treinador deixou os elogios para o fim do discurso: «Tem muito que aprender, mas tem um potencial muito grande. Espero que venha a ser um dos melhores jogadores do Mundo na posição dele. Não tenho dúvidas nenhuma sobre isso. Assim ele tenha sorte e cabeça para entender isto.» Jesualdo terminou a resposta virado para Hulk e com uma pergunta: «Tens, não tens?». Hulk sorriu.