«Não pensávamos ter tantos problemas em termos de lesões. Estaríamos muito mais fortes com Madrid e Linz. Na altura, a ideia era rentabilizar os jogadores, porque não estavam a jogar muito aqui, mas hoje gostava que estivessem cá, mas não posso ter tudo», assumiu o técnico, citado pela agência Lusa.

Em relação à visita ao reduto do Estrela da Amadora, Jorge Jesus defende que se trata de um encontro de «grande importância», e alerta para as dificuldades. «Conheço bem aquele campo e aquela cidade, é muito difícil jogar ali. São oitavos classificados, estão no pelotão da frente e temos de respeitar muito o Estrela», disse o técnico dos «arsenalistas», afirmando ainda que Lázaro é um «bom treinador», que «está a aproveitar a oportunidade que lhe deram».

Sobre o problema dos salários em atraso, que afecta o plantel do Estrela da Amadora, Jesus lembrou que já passou pelo mesmo no clube: «Já estive oito meses sem receber, mas continuei sempre a trabalhar da mesma maneira.»

Com o jogo da Taça UEFA frente ao Paris Saint-Germain a aproximar-se, Jesus admite poupar «20 por cento» da equipa. A esse propósito, e analisando a luta pelo título, o técnico dos «arsenalistas» entende que o Benfica pode tirar algum proveito. «Tem mais condições para discutir o título do que Sporting e FC Porto, porque não joga a meio da semana, tal como o Leixões, o Nacional ou o Marítimo», explicou, referindo-se também à luta pelos lugares europeus.