Maisfutebol

«Tenho autorização da Federação da Lituânia e do presidente da mesma para poder negociar com clubes», explicou José Couceiro esta quarta-feira, dando conta de um acordo que lhe dá a possibilidade de acumular a selecção com um cargo num clube.

O treinador lisboeta admite «que há essa hipótese», mas garante «não ter nada assinado, nem nenhum acordo fechado.» O facto de ter ido à Turquia «à vontade», sem qualquer preocupação de anonimato, deu à imprensa turca a pretensa confirmação para dar o acordo de Couceiro e o Gazientespor como fechado, mas o treinador português desmente.

«As pessoas viram-me, a imprensa também, não fui anónimo. Fui sem qualquer problema e devidamente autorizado pelo Presidente e pela Federação lituana. Há negociações, é verdade, mas não posso garantir a cem por cento que se vai concretizar», advertiu o técnico luso.

Do que Couceiro não tem dúvidas é do seu futuro enquanto seleccionador nacional da Lituânia. «Manter-me na selecção é ponto assente. É uma realidade. Temos objectivos firmes a cumprir e pretendo fazê-lo, até porque já estou aqui há algum tempo e tenho o conhecimento profundo da equipa para irmos mais além», confirmou o antigo responsável pela selecção de sub-21 das Quinas.

José Couceiro iniciou a sua carreira de treinador no Alverca, em 2002, acumulando posteriores passagens pelo Vitória de Setúbal, F.C. Porto e Belenenses, antes de comandar a selecção portuguesa de sub-21. Em 2008, o técnico natural de Lisboa rumou ao estrangeiro, mais propriamente para a Lituânia, para orientar o Kaunas. O sucesso alcançado no clube abriu-lhe as portas da selecção lituana, onde tem alcançado feitos de relevo.