«A minha carreira como treinador chegou ao fim», declarou Bruckner ao periódico checo Sport. «Esta semana entro, oficialmente, para o grupo dos reformados. Vou passar a beneficiar de reduções nos transportes!», brincou o técnico, de 69 anos, que esteve à frente da selecção checa entre 2001 e 2008.

Já no final do Euro-2008 o treinador tinha pensado deixar os bancos, contudo, admitiu não ter conseguido dizer adeus depois da derrota frente à Turquia, quando vencia por 2-0 a 15 minutos do fim. «O final do jogo foi brutal. Quis libertar-me daquela memória para que não me perseguisse», explicou.

Depois de levar a República Checa aos Europeus de 2004 e 2008 e ao Mundial de 2006, Bruckner aceitou o desafio de qualificar os austríacos para o próximo Campeonato do Mundo. A aventura terminou no início de Março, quando deixou o comando técnico com apenas um ponto em sete jogos disputados.