Ainda assim, Paulo Bento não quer perder pontos para uma equipa que já venceu em Alvalade: «O Leixões está a fazer um campeonato muito bom, com alguma diferença entre a primeira e a segunda volta, até no confronto com os outros dois grandes. Está há quatro jogos sem ganhar. Vamos ter dificuldades acrescidas pelo facto de o adversário querer quebrar esta série de resultados. Se queremos alcançar o nosso grande objectivo, não podemos permitir que uma equipa nos roube pontos duas vezes»

Essa é a revolta dos homens do Mar, querer inverter o percurso recente, ao passo que o leão chega ferido e revoltado, depois dos acontecimentos da Taça da Liga. Mas agora é tempo de campeonato, no qual o Sporting precisa de vencer para manter-se na corrida do título (mais complicada depois da vitória do F.C. Porto) e não permitir a ultrapassagem do Benfica, que joga logo a seguir na Reboleira, numa outra disputa pelos milhões da Champions. Se calhar, o que resta aos dois grandes da capital.

Os problemas de Paulo Bento começam logo a na construção de um onze. Izmailov e Vukcevic não jogam por lesão e Pedro Silva está castigado, se bem que as opções para a lateral são mais vastas do que para as «asas» do losango. E Miguel Veloso regressa também aos eleitos, numa fase decisiva da temporada, em que a união é, de facto, aspecto determinante no atingir de metas.

No lado oposto, José Mota conta com o regresso de dois habituais titulares: Elvis e Hugo Morais, na esperança de ter um Leixões mais forte que nas jornadas anteriores. Sobretudo, ter um Leixões que ainda seja capaz de lutar pelos lugares. Ainda está muito a tempo.

Equipas prováveis:

Leixões: Beto; Laranjeiro, Elvis, Nuno Silva e Bryan Angulo; Bruno China, Roberto Souza, Hugo Morais e Chumbinho; Rodrigo Silva e Diogo Valente

Sporting: Rui Patrício; Abel, Carriço, Polga e Caneira; Rochemback, Pereirinha, João Moutinho e Romagnoli; Liedson e Derlei