O quadro que fica para a história. Abriram as comportas e choveram golos na primeira noite da jornada 3 da Liga dos Campeões. 40-golos-40, nada menos. Média de cinco por jogo. Nunca se tinham marcado tantos numa só noite, em apenas oito jogos.

Em rigor, já tinha havido uma noite de Champions com mais golos. Mas nessa altura jogou-se toda a jornada num dia.

Primeiro recorde, portanto. Mas há tantos mais. Culpa de uma série de resultados muito desnivelados, mas não só: também do jogo de Gelsenkirchen, a vitória do Schalke sobre um Sporting que resistiu a quase tudo, mas acabou a perder 3-4

O resultado mais notável de todos foi, claro, o atropelo do Bayern Munique em pleno Olímpico de Roma. Nada menos que 7-1.

Os alemães já ganhavam 5-0 aos 36 minutos, o que representava um novo recorde, nunca uma equipa tinha marcado tantos fora de casa na primeira parte. Mas durou pouco. Na Bielorrússia, o Shakhtar Donetsk entretinha-se a reescrever a história. 5-0 ao BATE aos 40 minutos, 6-0 aos 44m, por essa altura um póquer de Luiz Adriano. Que havia de marcar ainda outro e, portanto, tornar-se o primeiro jogador da era Liga dos Campeões a marcar cinco golos num só jogo fora de casa. Além de ter registado o póquer mais rápido da história. Um caso à parte, para ler aqui.

Recapitulando, o Shakhtar não só igualou a maior vitória fora de sempre na Liga dos Campeões (7-0 do Marselha ao Zilina em 2010) como se tornou a primeira equipa de sempre a marcar seis golos na primeira parte. Com o Chelsea a ajudar frente ao Maribor, chegávamos ao intervalo com um incrível registo de 23 golos marcados em 45 minutos. 

No meio disto tudo o Chelsea, também. A terceira equipa da noite a marcar seis ou mais golos, numa prova que tem revelado tendência para resultados desnivelados, um sinal de desequilíbrio crescente entre os muito grandes e os outros. Ainda que nunca tenha acontecido nada como hoje.

Voltando a Stamford Bridge. Os 6-0 ao Maribor representaram a vitória mais folgada de sempre dos Blues na Liga dos Campeões. E José Mourinho ainda festejou o primeiro golo de Didier Drogba desde que voltou a Stamford Bridge. O avançado entrou aos 16 minutos para o lugar de Rémy, que se lesionou, e marcou de penálti sete minutos mais tarde.

A loucura que foi esta noite quase ofuscou o resultado mais chocante da ronda, o empate cedido no final pelo Manchester City frente ao CSKA Moscovo. Não foi pior para os ingleses por causa da vitória do Bayern sobre a Roma, que deixa o segundo lugar completamente aberto.

Nota ainda para a forma como resistiu o APOEL, a segunda equipa da noite com mais portugueses em campo, depois do Sporting, frente ao PSG. Só um golo de Cavani, aos 87m, quebrou a barreira.

Todos os resultados e classificações da Liga dos Campeões 

Jogos da terceira jornada

Terça-feira:

Grupo E

CSKA Moscovo-Manchester City, 2-2 

(Doumbia, 65; Natcho, 86 gp) (Agüero, 29; Milner, 38) 

Roma-Bayern Munique, 1-7  

(Gervinho, 66) (Robben, 9 e 30; Goetze, 24; Lewandowski, 25; Mueller, 36 gp; Ribéry, 78; Shaqiri, 80)

Grupo F

Apoel-PSG, 0-1 

(Cavani, 87) 

Barcelona-Ajax, 3-1  

(Neymar, 7; Messi, 24; Sandro Ramírez, 90) (El-Ghazi, 88)

Grupo G

(Obasi, 34; Huntelaar, 51; Howedes, 60; Choupo-Moting, 90 gp) (Nani, 16; Adrien, 64 gp e 78)

Chelsea-Maribor, 6-0  

(Rémy, 13; Drogba, 23 gp; Terry, 30; Mitja Viler, 54 pb; Hazard, 77 gp e 90)

Grupo H

BATE Borisov-Shakhtar Donetsk, 0-7  (Alex Teixeira, 11; Luiz Adriano, 28 gp, 36, 40, 44 e 82 gp; Douglas Costa, 35) 

(Herrera, 44; Quaresma, 75) (Guillermo Fernández, 58) 

Quarta-feira

Grupo A

Grupo B

Grupo C

Grupo D