A FIGURA: Bruno Fernandes

Já não devia, mas o criativo leonino continua a deixar-nos a nós, amantes confessos de bom futebol, surpreendidos. Sempre em movimento, é raro vê-lo escondido atrás de uma linha de passe. Recebe e passa quase sempre bem, transportando o jogo para outra dimensão não raras vezes. Assinou a obra-prima da noite aos 53 minutos, com um remate fortíssimo de pé direito na sequência de um livre e pouco depois forjou com o apoio de Bas Dost uma jogada deliciosa que deu o 3-1 aos leões. Leva 13 golos esta temporada, mais do que, por exemplo, nas últimas três temporadas que passou em Itália. Se Bas Dost será o homem mais decisivo no Sporting em 2017/18, Bruno merece pelo menos ser considerado o mais influente.

O MOMENTO: míssil de Bruno Fernandes, minuto 53

Alvalade em delírio para celebrar um golo de antologia! Uma aparentemente inofensiva falta sobre Palhinha nas imediações da área do Astana permitiu a Bruno Fernandes fabricar uma obra de arte! Coentrão tocou para a direita e o ex-médio da Sampdoria atirou fortíssimo para o golo.

OUTROS DESTAQUES:

Bas Dost: depois de algumas semanas sem competir por lesão, o holandês continua a mostrar a falta que fez à equipa de Jorge Jesus. Depois do golo em Tondela, voltou a faturar, agora contra o Astana. Aos 3 minutos recebeu de Bryan Ruiz e atirou de cabeça para o 1-0. Parece fácil. Para ele, que apontou o 27.º golo da época, talvez até seja mesmo. Foi participativo no processo de construção e teve algumas boas tabelas interessantes, como aquela com Bruno Fernandes que originou o terceiro golo do Sporting. Terminou o jogo com algumas queixas.

Battaglia: opção de Jorge Jesus em cenários mais duros na Liga dos Campeões e com missões mais conservadoras, alinhou na posição 8 nesta quinta-feira. Intenso e participativo.

Rúben Ribeiro: destaque pela negativa. E não por ter tido uma primeira parte discreta que saiu ao intervalo. É provável que até tenha sido o jogador do Sporting que mais bola teve durante este período, mas acumulou más decisões que levaram Alvalade ao exaspero. A somar a isso, foi pouco solidário nas missões defensivas, expondo Ristovski em demasia.

Tomasov: foi do lado esquerdo que o Astana conseguiu ser mais incisivo. Deu trabalho a Ristovski, que esteve sempre muito desapoiado por Rúben Ribeiro, pouco participativo nas tarefas defensivas. Marcou aos 38 minutos num remate enrolado.

Twumasi: não conseguiu desequilibrar individualmente, mas assinou um golo numa execução de belo efeito e ainda atirou ao poste a abrir.