Durante o encontro da passada quinta-feira, um grupo de adeptos do Sparta decidiu atacar alguns adeptos eslovacos, sendo que desta situação se gerou o pânico, tendo estes fugido para o relvado como forma de escapar à perseguição checa.

Depois de 45 minutos em que a polícia tentou acalmar a situação, o jogo foi retomado e o Sparta acabou por vencer (3-0).

Os dois clubes, referências máximas do futebol de Rep Checa e Eslováquia (dois países que estiveram unidos até ao início dos anos 90), são ainda alvo de investigação pela UEFA devido ao uso de material pirotécnico.

Além do mais, o Slovan está na mira da organização que regula o futebol europeu por considerar que existiu uma «falha organizativa» neste jogo. A audição deste processo será efetuada na próxima quinta-feira, dia 30.

Ainda relacionado com a Liga Europa, foi aberta uma investigação ao Metalist Kharkiv, por suposto comportamento racista, utilização de uma bandeira não autorizada e de pirotecnia, durante o jogo frente ao Legia (vitória polaca por 1-0). Neste caso, a audição será realizada a 13 de novembro.