A FIGURA: Miguel Cardoso

Esteve na génese de todas as jogadas de perigo criadas pelo Tondela na partida. Se Tyler Boyd é um extremo que gosta de aparecer na área a finalizar, Miguel Cardoso prefere a bola colada ao pé e as assistências. Esta tarde produziu duas, aproveitadas por Bruno Monteiro e pelo próprio Boyd. Poderia ter fechado o jogo a favor da equipa beirã, mas fez o mais difícil na cara de Ricardo Ferreira: atirou contra o guarda-redes Ainda assim, assinou uma boa exibição.

O MOMENTO: Miguel Cardoso vê Ferreira negar o 3-1

O quarto minuto da etapa complementar foi decisivo para o resultado final. Em vantagem à entrada para a segunda parte, o Tondela criou uma soberana ocasião para fechar o resultado. Pontapé longo, mau posicionamento da defesa do Portimonense, com Miguel Cardoso a dominar e a ficar na cara de Ricardo Ferreira. O extremo conduziu, entrou na área e rematou para uma defesa com o braço do guarda-redes algarvio. A história seria outra se Cardoso tivesse tido a frieza que se pedia num momento que se acabou por revelar chave para as contas do resultado.

OUTROS DESTAQUES:

Joca: 167 centímetros de muito talento. Pepa incumbiu-lhe a tarefa de fazer a ligação entre o meio-campo e o ataque. E o médio cedido pelo Sporting de Braga, fruto da velocidade e da técnica que possui cumpriu o papel quase na perfeição. Não foi o homem do último passe, contudo, ofereceu ao jogo fluidez e inteligência, qualidades importantes no desenvolvimento das jogadas ofensivas dos beirões. Quando havia espaço para receber nas costas dos médios do Portimonense, procurou movimentos de rutura para aparecer na área, mas as desmarcações nunca foram devidamente aproveitas pelos seus colegas. Apenas pouco mais de uma dezena de jogos disputados esta época, o que permite deixar no ar a questão: onde estava Joca escondido?

Ewerton: transporta para o relvado, a par de Varela, classe, inteligência e sobriedade. Demonstrou capacidade para pautar o ritmo de jogo, esconder a bola e lançar a velocidade de Galeno e Wellington Carvalho. Porém, as jogadas por si criadas não tiveram o melhor seguimento por parte dos demais algarvios. Então acabou por ser o capitão do Portimonense a fazer estragos na defensiva contrária. Galeno apercebeu-se do buraco que se abriu no meio da defesa tondelense e serviu Ewerton. A receção foi boa, mas a finalização foi de excelência. Primeiro golo da época.

Fede Varela: estreia absoluta como titular na Liga. Alternou pormenores interessantes com momentos infelizes Ainda assim, destaca-se dos restantes pela capacidade técnica que evidencia e que lhe permite sair de situações apertadas. Conseguiu efectuar vários passes a rasgar a defensiva contrária, porém, Galeno e Wellington não os souberam aproveitar. Está a crescer em Portimão.