A FIGURA: Herrera

Ameaçou duas vezes de pé esquerdo – com Vagner a responder bem – e fez mesmo o ansiado 2-0 após um erro gravíssimo do guarda-redes axadrezado. Não fez um jogo extraordinário, mas foi capaz de acalmar a equipa em momentos-chave e de dar a estocada final nas dúvidas provocadas por um bom Boavista. Num FC Porto muito irregular, Herrera manteve alguma estabilidade e coerência ao longo do jogo.  

O MOMENTO: um vermelho bloqueado pelo VAR (minuto 40)

Antes de mais, importa dizer que Manuel Oliveira corrigiu bem a primeira decisão. O árbitro mostrou um cartão vermelho direto a Vítor Bruno e, alertado pelo VAR, foi consultar as imagens da entrada sobre Sérgio Oliveira. Dura, aparatosa, mas não violenta. A expulsão seria um castigo desproporcionado e Vítor Bruno, que entrara minutos antes, continuou em campo. Tudo certo.

OUTROS DESTAQUES

Iker Casillas

A defesa feita a remate de Mateus, aos 57 minutos, é daquelas que podem dar campeonatos. Com o FC Porto a ganhar só o 1-0 e o Boavista a ameaçar, o guarda-redes espanhol respondeu como sabe. Grande voo para a direita e bola (de golo) desviada para canto.

Felipe

Cabeceamento perfeito, forte e colocado, a abrir o marcador e a deixar o FC Porto mais tranquilo, logo a começar. Está em grande forma e a reclamar mais atenção por parte do selecionador brasileiro. Esteve fantástico em Liverpool e continua intenso, fortíssimo, mas sem recorrer a exageros antigos. Faz uma dupla excelente com o omnipresente Marcano.

David Simão

Estratega axadrezado, pé esquerdo aveludado, boa visão de jogo. Um par de cruzamentos venenosos na esquerda e aberturas largas carregadas de qualidade. Não merecia ter sido parado por uma lesão aos 33 minutos. Estava a ser o maestro da reação axadrezada e o melhor dos visitantes.

Ricardo Pereira

Primeiro na direita do ataque, depois a fazer dupla com Aboubakar, sempre a mesma pressa de fazer as coisas com intensidade e qualidade.

Henrique

Este é o mesmo central que há semanas tremeu e cometeu uma mão cheia de erros na Luz? Belo jogo do central do Boavista, a impor a capacidade física, a ganhar grande parte dos duelos e a mostrar autoridade.

Sérgio Oliveira

Transformou a grande penalidade em golo e correu a abraçar o banco de suplentes. Parecia o argumento perfeito para o fim de festa e a recuperação emocional do médio. Mas não. O árbitro recorreu ao VAR e anulou o golo. Sérgio deu dois toques e o golo foi bem anulado. Tudo isto numa exibição em crescendo do médio, tímida e hesitante de início, segura com o decorrer do jogo. O cruzamento para o golo de Felipe foi fantástico.

Vagner

Erro monumental no segundo golo do FC Porto e uma boa exibição arruinada.

Renato Santos

Perto de marcar aos dez minutos, num pontapé acrobático, e fonte de vários problemas para Diogo Dalot. Não por acaso, o lateral portista fez a pior exibição desde que agarrou a titularidade.