FIGURA: Iker Casillas

O guarda-redes está aqui essencialmente pela importância que envolve a equipa este regresso à titularidade. Mais de quatro meses depois do último jogo para a Liga. A exibição foi segura, incomodada apenas num par de remates de João Novais e num cruzamento bem agarrado. Iker está bem, percebe-se a motivação, mas é normal que mais cedo ou mais tarde erre. Como qualquer guarda-redes. A grande diferença é que nessa altura Sérgio Conceição olhará para o banco e não encontrará nenhuma opção melhor.

MOMENTO: Sérgio mata a ansiedade à nascença

Depois da derrota histórica contra o Liverpool, o FC Porto entraria sempre desconfiado e ansioso neste regresso à Liga. Nada melhor, pois então, do que matar essas dúvidas à nascença. O pontapé de Sérgio Oliveira devolveu logo aos 2 minutos a confiança que o dragão procurava.

OUTROS DESTAQUES

Diogo Dalot

Estreia absoluta na Liga aos 18 anos. 16 minutos no lado esquerdo da defesa azul e branca, para celebrar um talento incomum e dar algum descanso ao incansável Alex Telles.

João Novais

O mais inconformado, o mais perigoso, o mais atrevido do Rio Ave. Dois livres diretos bem parados por Casillas, mais um pontapé rasteiro e traiçoeiro, além de variações preciosas de flanco, sempre certeiras. É, por estes dias, talvez o melhor especialista de bolas paradas no campeonato português. Filho do pequeno Abílio, um executante de excelência que passou por FC Porto, Salgueiros e Leixões.

Marega

Provocou o autogolo de Marcelo e marcou de cabeça o 17º golo no campeonato. Alterna o extraordinário com o sofrível, mas apresenta números incontestáveis. Um caso muito especial, de facto.

Tiquinho Soares

Ofereceu o primeiro golo a Sérgio Oliveira, num passe curto e atrasado, e fez o 2-0 com um cabeceamento colocadíssimo, parecido ao que fez ao Sporting. Perto do fim fechou as contas, com um bom desvio já perto da baliza de Cássio. Leva cinco golos nos últimos quatro jogos e é um verdadeiro reforço de inverno.

Alex Telles

Duas assistências para golos e alguns minutos de descanso no fim. Bem precisa, bem merece.

Miguel Cardoso

Escrevemo-lo na crónica e insistimos aqui na ideia: o Rio Ave já nos mereceu rasgados elogios, a proposta de jogo do treinador é admirável, mas deixa de fazer sentido quando serve mais a obsessão ideológica do treinador do que os interesses do Rio Ave. Nem em todos os campos, nem em todos os contextos, é aplicável.

Óliver Torres

O passe a isolar Brahimi é maravilhoso. O argelino nem se apercebeu que ficava em posição para golo. Entrou muito bem e custa perceber como não tem um papel mais prioritário na equipa. Pés de ouro.