A figura: António Filipe

Pelo menos por três vezes evitou o golo com defesas de grande categoria, revelando boa leitura e destreza de movimentos. Assim foi quando Fabrício lhe surgiu pela frente e o chapéu do brasileiro foi desviado com uma palmada, ou os voos para deter os remates de Paulinho e Nakajima. Foi decisivo para manter a sua equipa em jogo e aproveitar a benesse que caiu do céu nos descontos.

Momento: minuto 90+3.

Contra a corrente do que foi todo o jogo, o Desp. Chaves chegou à vitória, numa grande penalidade assinalada por Fábio Veríssimo, que entendeu que Lucas Possignolo derrubou Platiny. Pedro Tiba converteu a grande penalidade e deu três (muito) saborosos pontos à sua equipa. Para o Portimonense fica um grande amargo na boca, num jogo que dominou e falhou oportunidades mais que suficientes para ter tido outra sorte.

CRÓNICA: Algarvios desperdiçaram e perderam nos descontos

Outros destaques:

Paulinho:

Não teve muito espaço mas tem talento e quando conseguiu soltar-se construiu o que de melhor se viu do futebol ofensivo dos algarvios. Descaído na direita, mas sempre com tendência para fazer diagonais, o brasileiro esteve perto do golo, mas o remate que levava a bola a entrar junto à barra foi desviado de forma superior por António Filipe.

Matheus Pereira:

Não foi excecional, longe disso, mas foi o único que tentou esticar o jogo da sua equipa, faltando-lhe companhia. E acabou por ser decisivo ao iniciar a jogada da grande penalidade que deu o triunfo ao Desp. Chaves, isolando Davidson que endossou depois para Platiny que acabaria por cair com Lucas Possignolo.