Lito Vidigal, treinador do Belenenses, após a vitória frente ao Estoril (1-2)

Segunda vitória fora e triunfo na Amoreira depois de 37 anos sem vencer na casa do adversário. Algum sabor especial?

«Não. É importante ganhar. Não dou grande importância a esses aspetos. Realmente são muitos anos, mas não foram assim tantos a competir diretamente, porque houve alturas em que andámos em campeonatos diferentes. É sempre bom ganhar. Nós temos os nossos objetivos definidos, que é trabalharmos para nos mantermos na I Liga. Na época anterior tivemos um ano desgastante. Não fizemos alterações de fundo. Temos vindo a trabalhar com seriedade, com atitude e responsabilidade. Os jogadores têm sido fantásticos, querem aprender e ser melhores todos os dias. A sua atitude faz com que consigamos amealhar os pontos necessários.»

Apesar da carreira que está a fazer na Liga, mantém que a meta é a permanência. Como se gere isso junto dos jogadores?

«Sempre equilibrado. Quando não ganhamos não deitamos o mundo abaixo, nem dizemos que está tudo mal. Da mesma forma que, quando ganhamos, somos equilibrados e sabemos o caminho que temos de percorrer para atingirmos os nossos objetivos. Na época passada, o Belenenses teve uma temporada desgastante. No outro ano estava na II Liga. Não queremos passar pelo mesmo. Não queremos ser oscilantes. Não queremos achar que, só porque ganhámos três jogos, podemos fazer mais e depois estarmos a sofrer. Se nós estivéssemos estruturados para procurar outros objetivos assumiríamos com certezas. Mas não é essa a verdade. Temos excedido as expectativas, fruto do trabalho. Temos sido responsáveis e temos tido a atitude certa. Admito que os jogadores acreditem e imaginem outros objetivos, mas só os poderão alcançar se trabalharem aqui, hoje e agora. O coletivo tem sido fantástico e isso é que faz com que tenhamos a pontuação que temos, apesar de todas as carências que apresentamos. Mas isso não nos vai fazer perder a cabeça. Vai fazer, sim, com que sejamos exigentes e equilibrados. O nosso objetivo está definido e ainda falta muito e temos de trabalhar muito para o atingirmos.»

Dificuldades na segunda parte

«Até é bom, porque estamos a crescer e a aprender. É importante que nós consigamos passar por situações destas e consigamos ter êxito. Isso dá confiança. Se passarmos por uma situação idêntica no próximo jogo, estaremos mais preparados para isso. Quando estamos por cima temos de aproveitar. Quando não estamos temos de ser equilibrados e organizados e isso nós conseguimos sê-lo hoje. Por isso, saímos daqui com a vitória.»