Miguel Leal, treinador do Boavista, em declarações na sala de imprensa do Estádio do Bessa após a derrota frente ao Rio Ave.

[Sobre a grande penalidade falhada por Leonardo Ruiz]:

Pela entrega e pela dedicação acho que merecíamos ter chegado ao empate. Era justo, mas temos que viver com isso.

Temos que melhorar o processo ofensivo e a construção de jogo. O primeiro golo nasce de uma falha individual mas estávamos preparados para aqueles lances. Temos que também valorizar o adversário. É uma boa equipa e é natural que nos tenha causado dificuldades. Temos que ter mais capacidades de chegar ao último terço. Temos um longo caminho a percorrer.

[Sobre insatisfação dos adeptos];

«Isso tudo está relacionado com as expetativas. É um ano mais difícil do que o ano anterior. O objetivo do Boavista tem que ser sempre, gradualmente, melhorar a sua classificação. Para esta época, objetivo principal é igualar classificação do ano passado ou se possível, fazer melhor.

Mas para isso são precisas condições, investimentos. Isto não é carregar na tecla e as coisas acontecem. 

Como terminamos bem o campeonato, as pessoas empolgam-se. Temos que perceber a realidade do Boavista.

Esta equipa vai terminar o campeonato tranquila. É preciso trabalho e é preciso apoiar a equipa. A força do Boavista tem de ser apoiar os jogadores que temos. Ainda assim, prefiro que isto aconteça agora do que no final.»

[Sobre chegada de reforços]:

«Vamos ver. Vamos analisar. Até posso achar que é possível. Uma coisa é o que os treinadores querem, outra a realidade do clube em que estão. Todas as circunstâncias tem que ser avaliadas, por toda a gente. É lógico que não podemos entrar em loucuras. Estamos conscientes do processo. Volto a repetir: tenho extrema confiança neste plantel. É uma questão de tempo. Temos 15 nacionalidades, gente que não conhece realidade do futebol português. É preciso tempo e paciência.»