A Assembleia-Geral do FC Porto aprovou esta quarta-feira «por ampla maioria» o Relatório e Contas Individuais e o Relatório e Contas Consolidadas do clube.

De acordo com o comunicado, publicado no site do clube, os dois relatórios, referentes ao exercício de 2013/2014, registaram «apenas um voto contra, na generalidade e na especialidade».

«Os resultados líquidos são negativos (2,355 e 35,361 milhões de euros, respetivamente), devido ao impacto das contas da FC Porto - Futebol, SAD», pode ler-se ainda naquele comunicado.

Segundo o vice-presidente portista Fernando Gomes, as contas seriam positivas sem o resultado negativo de 40,701 milhões de euros da SAD. No que toca ao relatório individual, frisou que o EBITDA (cash-flow operacional) é positivo em mais de dois milhões de euros e que o capital próprio «é robusto», atingindo os 62,834 milhões de euros.

O FC Porto explica ainda que, de acordo com a legislação em vigor, qualquer empresa-mãe é obrigada a elaborar demonstrações financeiras sobre as sociedades que controla, pelo que foi também apresentado aos sócios o Relatório e Contas Consolidadas.

«O resultado líquido negativo de 35,361 milhões de euros inclui as contas de todo o grupo: FC Porto, FC Porto - Futebol, SAD, PortoComercial, PortoEstádio, PortoMultimédia, PortoSeguro, Dragon Tour, EuroAntas, FCP Serviços Partilhados e FCP Media. O EBITDA (8,455 milhões de euros) e o capital próprio (26,867 milhões de euros) são igualmente positivos», lê-se ainda.

Entretanto, o Conselho de Administração da SAD do FC Porto apresentou à CMVM relatório sobre a oportunidade e as condições de oferta pública e aquisição geral, e obrigatória, anunciada pelo FC Porto, objeto do anúncio preliminar divulgado a 2 de outubro passado.