Figura: Rodrigo Falcone

Herói improvável no final de tarde frio em Santa Maria da Feira. O Feirense estava reduzido a dez elementos por expulsão de Luís Machado e Lito Vidigal – inteligente – lançou o avançado argentino para o assalto final à baliza de Caio Secco. Falcone, que já não era utilizado desde a primeira jornada, correspondeu da melhor forma a um cruzamento de Amilton, confirmando o bom momento dos avenses. Como o futebol é tão pródigo neste tipo de situações.

O Momento: 90+2, Falcone, herói improvável

O Feirense procurava segurar um precioso ponto, enquanto os Desportivo das Aves procurava beneficiar da superioridade numérica. Ora, o recém-entrado Falcone, a aproveitar o regresso aos relvados – quase quatro meses depois da última aparição – assumiu o papel de herói e ofereceu os três pontos aos avenses, após um cruzamento de Amilton. O golo, conseguido a três minutos do final do tempo de compensação, não deu possibilidades de resposta ao adversário. Em suma, um tento que comprova o bom momento que a equipa, regressada este ano ao escalão principal do futebol português, atravessa.

Outros destaques:

Agra: o futebol vertiginoso dos avenses vive muito de Salvador Agra. Acelerações e mudanças de velocidade constantes serviram muitas vezes como forma ideal para ultrapassar adversários. Mas o futebol de Agra não é só correria. Foi comum vê-lo pisar terrenos interiores para tentar combinar com os companheiros. Colado à linha ou em terrenos mais interiores foi o criador de algumas das melhores ocasiões dos forasteiros. Nota para a ocasião desperdiçada logo no segundo minuto de jogo.

Etebo: velocidade, potência e qualidade técnica predicados únicos na equipa do Feirense. Ciente das suas qualidades, Nuno Manta dá-lhe liberdade para deambular pela frente de ataque. Quando o nigeriano consegue encarar os adversários de frente, o futebol ofensivo dos fogaceiros sobe exponencialmente. Destaque para as duas oportunidades soberanas para marcar: na primeira rematou muito por cima, na segunda foi Quim quem impediu Etebo de festejar. Faltou o golo a coroar uma bela exibição.

Caio Secco: concentrado entre os postes, destemido fora deles. Esta tarde voltou a provar que é um dos bons guarda-redes da Liga. Uma mão cheia de remates travados, com destaque natural para a defesa monumental a pontapé de Amilton ainda na primeira parte. Adiou ao máximo o tento avenses. Sem hipótese no golo sofrido.

Quim: se na primeira parte, Caio Secco brilhou, o guarda-redes avense não quis ficar atrás na segunda metade. No minuto 61, Quim assinou a defesa da tarde: pontapé fortíssimo de Etebo, com a bola a desviar na muralha defensiva do Desportivo das Aves e Quim, venceu a inércia do seu movimento, e com uma palmada, impediu que a bola seguisse o caminho da baliza. No minuto anterior, tinha impedido que o remate de Luís Machado acabasse no fundo das redes.