FIGURA: Celis

Está numa forma impressionante. Se é verdade que em termos técnicos nem tudo lhe sai bem, em termos de entrega ao jogo de pujança física o colombiano está em todas à frente da defesa. Foi amarelado muito cedo, mas mesmo assim continuou ligado à corrente, não baixou os braços e foi a cada lance como se fosse o último. Até assustou, perdeu os sentidos, mas reentrou em campo como se nada tivesse acontecido. A apatia foi geral, destacou-se o colombiano, claramente, com o músculo no miolo.

MOMENTO: golaço de Bourabia (15m)

Remate do meio da rua, encheu-se de fé e assinou o lance da noite em Guimarães. Em zona frontal à baliza, encheu o pé e o esférico saiu ao ângulo superior esquerdo da baliza do V. Guimarães, com as medidas certas para o fundo das redes. Grande momento de futebol, Douglas nada podia fazer.

NEGATIVO: Celis gera tensão

Disputa de bola de Celis com um jogador adversário, o lance aparentou ser normal, mas o colombiano perdeu os sentidos e gerou alguns minutos de apreensão no D. Afonso Henriques. Os colegas apressaram-se a pôr o médio do Vitória de lado, os dois médicos deslocaram-se ao local e instalou-se um silêncio absoluto no estádio. Celis recuperou e regressou de imediato ao relvado.

OUTROS DESTAQUES

Bourabia

O jogador mais evoluído tecnicamente do Konyaspor, aliando o físico característico da restante equipa ao bom toque de bola. Deu quase sempre o melhor seguimento aos lances no seu raio de ação e marcou um grande golo.

João Aurélio

Entrou bem no jogo e deu mais alma ao corredor esquerdo. Subiu várias vezes pelo corredor canhoto, com arrojo, e numa das suas arrancadas conseguiu fazer, de forma fortuita, é certo, com que Ali Turan desviasse para a própria baliza.

Vedat Bora

Rápido e repentino nas mudanças de velocidade, o extremo foi dos jogadores mais perigosos da equipa montada por Mehmet Ozdilek. Sem medo de ter o esférico, a par de Evouna foi quase sempre a principal opção ofensiva do Konyaspor.

Pedrão

Fez o segundo jogo a titular depois da lesão, está ainda a recuperar a forma ideal, mas nota-se que a sua presença dá mais estabilidade à defesa. Irrepreensível nos desarmes um para um e também no jogo aéreo.