Estrela: Pizzi

Na ausência de Jonas, Pizzi armou-se em goleador e fez a diferença no jogo. Um hat-trick para abrir o campeonato que o torna de imediato a estrela da partida e provavelmente da jornada. Três golos todos diferentes, mas todos semelhantes: vindo de trás, surgiu à entrada da área para finalizar já ali pertinho da marca de penálti. Começou o campeonato em grande forma e merece nota máxima.

Positivo: Salvio

Entrou no campeonato a grande velocidade. Literalmente. Pela direita, e naquele jeito de jogar sempre para a frente a comer metros em corrida com bola, foi um fura latas que deu a volta à cabeça de Rafa Soares. Fantástica, por exemplo, a jogada da grande penalidade sofrida, e que Ferreyra falhou, muito boa também a jogada que permitiu a André Almeida assistir Pizzi no segundo golo.

Negativo: Rafa Soares

A linha mais recuada do V. Guimarães foi, toda ela, um desastre. Os centrais, por exemplo, não conseguiram cobrir a zona de finalização, onde Pizzi surgiu a fazer os três golos, e também não tiveram o apoio de Wakaso. Mas, e apesar disso, Rafa Soares foi a face mais evidente do desacerto defensivo da equipa, incapaz de travar Salvio, que criou enormes desequilíbrios a partir da direita.

OUTROS DESTAQUES:

André André

Tornou-se figura do V. Guimarães ao fazer o primeiro golo e a assistência para o segundo, no espaço de apenas cinco minutos. Ameaçou por isso ser uma das figuras do jogo, mas a forma como perdeu a bola e foi ultrapassado em velocidade por Gedson no primeiro golo baixa-lhe a nota.

Gedson

Tem cara de miúdo, mas de futebol percebe ele. Um pouco como Pedro Lamy com os carros nos anos noventa, Gedson mostrou que sabe tudo do jogo, do momento de contemporizar e de atacar, de correr e de ficar, de pressionar ou não. Fantástica, claro, jogada para o primeiro golo do jogo.

Vlachodimos

O guarda-redes foi precioso na vitória do Benfica: fez duas defesas fundamentais, a primeira a travar um cabeceamento de Tallo, ainda com o nulo no resultado, a segunda a parar um remate de Teixeira, quando o Benfica vencia por 1-0. É certo que sofreu dois golos, mas pouco podia fazer aí.

Ferreyra

É verdade que falhou uma grande penalidade e esse nunca é um bom cartão de visita para um ponta de lança. Até porque voltou a ficar em branco, o que não é bom. Não podemos, no entanto, ignorar a admirável simulação que permitiu a Pizzi ficar solto para o terceiro golo. Foi pormenor de craque.

Tyler Boyd

O reforço neozelandês, regressado do empréstimo ao Tondela, esteve em três boas ocasiões de golo do V. Guimarães. Cruzou para Tallo cabecear com perigo e atirou ao poste numa altura em que o jogo ainda não estava decidido. Mais tarde voltou a rematar para uma boa defesa de Vlachodimos.