Benfica e Sporting aumentaram custos com pessoal no primeiro semestre de 2017/18 em relação ao mesmo período da época passada e o FC Porto reduziu os encargos com atletas e treinadores, mas continua a ser quem mais gasta. O Maisfutebol faz uma comparação entre alguns dos dados das contas semestrais dos três «grandes», em que Benfica e Sporting anunciaram lucros e redução substancial dos passivos e os «dragões» apresentaram prejuízos.

Apresentam-se os dados consolidados de Benfica e FC Porto, sendo que o Sporting não faz essa discriminação nas contas apresentadas.

Resultados sem transfêrencias de jogadores

Olhando para os resultados operacionais, o Benfica foi o único que apresentou valores positivos no saldo entre receitas e gastos, não incluindo transações de jogadores, um valor de 5.279 milhões de euros. O Sporting apresenta saldo negativo em 873 mil euros e o FC Porto também, de 3.965 milhões. Todos eles aumentaram gastos neste semestre.

Gastos operacionais (excluindo transações de jogadores)

Benfica: 59.321 (51.297)

FC Porto: 65.826 (63.737)

Sporting: 54.491 (50.438)

Custos com pessoal

O maior aumento aconteceu no Sporting, mas é substancial também no Benfica. No FC Porto o saldo global é marginal, mas houve uma redução substancial de cerca de três milhões nos salários específicos de atletas e treinadores, de 29.314 milhões para 26.410.

Benfica: 35.261 (30.363)

FC Porto: 38.054 (38.909)

Sporting: 37.680 (31.573)

Receitas

Todos registaram aumento das receitas não extraordinárias no geral, embora com nuances. Benfica e FC Porto ganharam menos das competições europeias. No caso das águias por causa de uma campanha desastrosa na Liga dos Campeões, no caso dos «dragões» por não terem ido ao «play-off» esta época. O Sporting, por outro lado, beneficia disso mesmo.

Os «leões» apresentam por outro lado ligeira quebra nas receitas televisivas. Quanto à bilheteira, todos aumentam no global, sendo que Benfica e Sporting juntam nos dados apresentados receitas de dia de jogo e bilhetes de época.

Rendimentos operacionais (excluindo transações de jogadores)

Benfica: 64.600 (69.415)

FC Porto: 61.860 (58.769)

Sporting: 53.618 (49.065)

Competições europeias

Benfica: 14.868 (21.567)

FC Porto: 22.486 (24.379)

Sporting: 19.418 (14.942)

Direitos televisivos

Benfica: 21.343 (19.278)

FC Porto: 11.454 (10.885)

Sporting: 12.467 (13.138)

Bilheteira

Benfica: 12.466 (11.971)*

FC Porto: 4.856 (4.335)

Sporting: 9.369 (7.693) *

*Inclui bilheteira e bilhetes de época

Patrocínios e publicidade

Benfica: 15.873 (16.596)

FC Porto: 12.554 (11.056)

Sporting: 6.107 (5.748)

Vendas de jogadores

O Benfica foi quem vendeu mais neste período, receitas de 45 milhões de euros relacionadas sobretudo com as transferências de Nélson Semedo e Mitroglou. O Sporting chega perto dos 28 milhões, com Adrien Silva a liderar os ganhos, o FC Porto teve apenas como negócio relevante nesta fase Martins Indi, pelo que fica muito abaixo dos 64,8 milhões que registou há um ano.

Rendimentos com transações:

Benfica: 45.015 (18.925)

FC Porto: 8.925 (64.818)

Sporting: 27.991 (73.820)

Passivo

O Benfica ainda tem o maior passivo dos três, mas anunciou uma redução substancial neste exercício, tal como o Sporting. O FC Porto também apresenta uma redução, menos significativa.

Benfica: 385.355 (438.333)

FC Porto: 380.280 (387.560)

Sporting: 270.453 (310.879)