Miguel Cardoso, treinador do Rio Ave, em declarações na sala de imprensa de Paços de Ferreira após o 0-0 que garantiu o quinto lugar à sua equipa:

«Este Rio Ave encarou desde o primeiro dia de forma profissional e abnegada uma ideia de jogo e um processo que o treinador trouxe. É um momento distinto na história do clube, num grupo que sofreu perdas importantes. Houve seis jogadores que saíram. Desfrutámos deste percurso. Tivemos momentos menos bons, há instantes em que não ganhámos. Mas disse também que esta equipa seria marcada pelo que fazia quando perdia. Fomos sempre consistentes. Agarrámo-nos à nossa identidade.»

«Subimos dois lugares na tabela. É brutal, impactante. Estou muito contente neste momento.

[sobre a cereja no topo do bolo, a qualificação europeia]

«O bolo está completo. As épocas terminam, há dinâmicas.»

«Valorizei a possibilidade de criar mais valias para os nossos atletas. Não só para vendas.»

[sobre os piores momentos da época]

«Recordo momentos difíceis. Quando perdemos de forma inglória na Taça de Portugal, contra o Aves. Jogámos logo a seguir em Belém e ganhámos.»

«Temos vantagem sobre todos os nossos adversários diretos, menos contra o Vitória de Guimarães. Fomos brutais. Agradeço ao clube a confiança depositada em mim. Estive quatro anos na Ucrânia e saí de lá com intenção de parar. O Rio Ave desafiou-me e só posso agradecer esta aposta em mim. Gosto de me sentir querido. Deixo também uma palavra à minha família, que viveu quatro anos longe de mim. Neste momento dedico o feito aos meus pais, aos meus falecidos avós... o meu filho e a minha esposa estarão de coração cheio.»