Figura: Pablo

O central brasileiro do Marítimo, que tão mal na fotografia ficou no jogo com o Rio Ave, duas jornadas antes desta, redimiu-se este sábado com uma exibição na defesa que ‘ofuscou’ a do patrão do setor, Zainadine. Como se não bastasse, foi determinante na vitória da sua equipa ao marcar um golo e intervir decisivamente noutro. A jogar assim, a concorrência (Dráusio e Diney) não podem sonhar com a titularidade.

 

Momento: 28’ – dois golos em cinco minutos

O Vitória de Guimarães reagiu bem ao primeiro golo do Marítimo empatando o jogo logo de seguida. Mas depois de sofrer dois golos em pouco mais de cinco minutos, o certo é que tudo se complicou para os vimaranenses com o terceiro, sofrido a exemplos dos outros na sequência de um canto.

LEIA A CRÓNICA DO MARÍTIMO-V. GUIMARÃES

Outros destaques:

 

Ricardo Valente – Podia muito bem ter sido eleito como a figura do jogo, já que, a exemplo de Pablo, também marcou um golo e ajudou que outro viesse a ser concluído com sucesso. Alem disso, esforçou-se muito no ataque e apoio nas ações defensivas.

Charles – O jovem guardião brasileiro vinha aprimorando a forma como se deve sair dos postes, um ponto que, recorde-se, sempre precisou de trabalhar. A saída que protagonizou aos 68’, e que originou a grande penalidade que Hurtado provou que ainda em muito que evoluir nesse aspeto.

Douglas – Sofreu três golos, mas com outras tantas defesas impediu que o Marítimo fosse para o intervalo a vencer por mais de dois de diferença. Além disso, foi incansável na hora de ajudar os colegas de defesa a recuperarem dos erros cometidos nos golos de bola parada que acabaram por ditar o resultado final.

Konan – Esteve no primeiro golo do empate, com uma bela assistência para Hurtado finalizar. Foi praticamente intransponível na lateral esquerda a defender.

Hurtado – O avançado do Vitória não decidiu sempre bem nas movimentações ofensivas da sua equipa. Faltou-lhe, em alguns lances, levantar a cabeça e decidir com calma. Contudo, destacou-se dos colegas ao anotar os golos da sua equipa: no primeiro exibiu um grande sentido de oportunidade e posicionamento; já no penálti, aliou frieza à técnica para desfeitear Charles.