FIGURA: Heldon

A exemplo do que aconteceu na primeira volta, voltou a ser decisivo diante da sua antiga equipa. Está em dois dos golos apontados pelo Vitória de Guimarães, sendo o principal rosto do triunfo. Apontou o canto que fez Marcelo pentear o esférico para a própria baliza e cruza depois com as medidas certas para o terceiro golo. O túnel com que se livrou de Marcelo é delicioso, assinando um dos lances de mais fino recorte do jogo.

MOMENTO: golo de Rafael Martins (41m)

O V. Guimarães já vencia por duas bolas a zero, estava tranquilo, mas saiu para o intervalo com uma margem ainda mais confortável com um golo de belo efeito. Túnel de Heldon a Marcelo no corredor esquerdo, cruzando depois junto à linha de fundo para Rafael Martins marcar de cabeça na pequena área. Golo do homem da máscara a tranquilizar os comandados de José Peseiro.

NEGATIVO: Marcelo

Noite para esquecer do defesa central do Rio Ave. Está ligado negativamente a dois golos, primeiro a introduzir a bola na sua própria baliza, depois foi ultrapassado por Heldon de forma simples e pouco condizente com a sua experiência.

OUTROS DESTAQUES

Miguel Silva

Uma série defesas assombrosas na fase inicial do encontro, quando o marcador ainda não tinha funcionado, a manter o equilíbrio emocional do V. Guimarães. Ganhou o lugar na baliza a Douglas e justificou a aposta.

Rafael Martins

Atuou de máscara e lutou como sempre no ataque. Desta vez conseguiu ser feliz, abanando as redes adversárias. Voltou a marcar cinco meses depois com uma cabeçada no sítio certo depois de ter sido ele a abrir caminho para Heldon.

Pelé

Dos que menos erros cometeu na equipa do Rio Ave, impondo o seu físico no setor intermediário e mesmo entre os centrais quando no processo ofensivo assumiu a posição mais recuada da equipa.

Jubal e Pedrão

Boa prestação da dupla de centrais do Vitória de Guimarães, um dos grandes males da equipa vimaranense esta época. Ajudaram Miguel Silva a manter a baliza a zeros, facto pouco comum esta época.