FIGURA: Raúl Silva

Um golo e uma grande penalidade sofrida que deu a tranquilidade. Raúl Silva no epicentro do triunfo arsenalista. Chegou ao Minho com o rótulo de defesa goleador e tem reforçado esse estatuto com mais golos. Esta já é a sua melhor época no que ao abanar das redes adversárias diz respeito, chegando ao oitavo golo em todas as competições. Marcou pelo terceiro jogo consecutivo, registo impressionante para um defesa central, e começou a traçar o triunfo dos comandados de Abel Ferreira. Na segunda metade sofreu a grande penalidade que permitiu a Paulinho fazer o segundo e está igualmente no terceiro golo. Irrepreensível defensivamente, sem dar espaços aos adversários, coloriu a exibição com o golo.

MOMENTO: golo de Raúl Silva (25m)

Canto batido por André Horta no lado direito do ataque do Sp. Braga, a bola saiu com as medidas certas para o coração da área, habitat natural de Raúl Silva, fazendo depois o atacante a tarefa do costume. Cabeçada certeira para o fundo das redes sem hipóteses para Cristiano. Estava aberto o caminho para o triunfo bracarense.

NEGATIVO: João Amaral lesiona-se logo aos dez minutos

Dor de cabeça para José Couceiro ainda numa fase precoce do encontro. João Amaral lesionou-se logo aos dez minutos, com a lesão a aparentar ser grave. Jorge Sousa pediu assistência mesmo antes de confrontar o jogador. O extremo ainda tentou regressar ao relvado, mas voltou a cair. O técnico sadino perdeu uma das suas principais referências logo nos instantes iniciais.

OUTROS DESTAQUES

Esgaio

Está numa forma física que impressiona. Abel chamou-te RoboCop, o lateral adaptado no meio campo faz jus às palavras do técnico e quando arranca é muito difícil de o parar. Mais uma exibição extremamente regular com um par de cruzamentos venenosos e um golo para a sua conta pessoal.

Cristiano

Foi segurando as pontas no último reduto sadino. Evitou que o Braga se adiantasse no marcador com saídas destemidas e mesmo depois de sofrer o primeiro conseguiu manter-se a um bom nível, evitando males maiores para a equipa de José Couceiro.

Dyego Sousa

Jogo de luta na frente de ataque do Sp. Braga. Atirou uma bola ao ferro e viu o VAR anular-lhe um golo sublime. Exibição positiva, cheia de garra, faltou-lhe atirar para o fundo das redes a contar para dar ainda mais ênfase à sua prestação.

Semedo

É o elemento mais velho do plantel de José Couceiro, mas demonstra ainda, aos 33 anos, um pulmão enorme no meio campo. Travou vários duelos, não virou a cara à luta e foi uma das principais unidades do V. Setúbal.