A FIGURA: João Silva

Os centrais sadinos nunca se sentiram tranquilos com a presença da principal referência do ataque dos fogaceiros. Ganhou inúmeras bolas aéreas e foi um perigo constante apontado à baliza de Cristiano. Cristiano negou-lhe o golo aos 16 minutos com uma grande estirada e pouco depois foi Yohan Tavares a cortar para canto quando se preparava para marcar. Aos 53 voltou a cheirar o golo, que haveria de chegar 10 minutos depois, quando recebeu de Hugo Seco entre os centrais, matou no peito e atirou para o golo do Feirense. Voltou a fazer estragos aos 87 minutos, quando bisou num desvio de cabeça ao segundo poste.             

O MOMENTO: golo de João Silva gela Bonfim. MINUTO 63

O avançado do Feirense já tinha ameaçado várias vezes e acabou mesmo por chegar ao golo numa altura em que os sadinos pareciam até estar ligeiramente por cima do jogo. Depois de ser lançado em profundidade por Hugo Seco, dominou com o peito e bateu Cristiano para o golo que tira os fogaceiros da zona de despromoção.

OUTROS DESTAQUES

André Pereira: o mais inconformado da equipa de Couceiro. Mais móvel no ataque do que Edinho, andou sempre à procura de espaço para poder acelerar o jogo, conseguindo algumas diagonais perigosas da direita para o centro. Foi dessa forma que não esteve muito perto de marcar aos 35 minutos. Faltou-lhe algum discernimento em algumas ações, principalmente quando o cronómetro se aproximava do final.

Costinha: a chuva que caiu e que foi tornando o terreno de jogo mais pesado não era favorável a jogadores levezinhos, mas o médio sadino, que foi homenageado neste sábado pelos 100 jogos cumpridos ao serviço do Vitória no início do mês, foi bravo na batalha do Bonfim. Foi dos poucos jogadores da equipa da casa que revelou discernimento na maioria das ações com bola. Aos 58 minutos tirou um cruzamento perfeito para Edinho, mas o avançado não estava nos dias dele.

Crivellaro: fez rodar bem o jogo do Feirense, que se apresentou no Bonfim com linhas tendencialmente mais recuadas mas uma ideia de jogo mais clara. Excelente no capítulo do passe, teve nos pés a melhor oportunidade da primeira parte, quando rematou por cima em excelente posição para bater Cristiano e serviu João Silva em pleno menos duas ocasiões com passes em profundidade. Assistiu João Silva para o 2-0.

Edson Farias: pôs a cabeça em água a Patrick, que sentiu muitas dificuldades para limitar a ação do extremo do Feirense. Rápido sobre a ala, tirou alguns cruzamentos perigosos e fez soar o alarme quando deixou quase tudo para trás quando arrancou pela zona central em direção da baliza ainda nos primeiros 45 minutos.

Caio Secco: seguríssimo na leitura de cruzamentos, alguns deles venenosos. Evitou o golo a Edinho na cobrança de um livre na reta final da primeira parte e voltou a demonstrar atenção na abordagem a um livre de Emrah Bassan que foi desviado pela barreira. Transmitiu confiança aos companheiros.