A FIGURA: Patrick

Depois de uma primeira fase de temporada marcada por problemas físicos, parece estar de volta ao nível dos tempos no Marítimo. Seguro defensivamente, correu quilómetros no apoio ao ataque, sobretudo na primeira parte, quando André Pereira não conseguia dar a profundidade necessária na ala. Estreou-se a marcar ao serviço do Vitória, com um livre batido de forma exemplar.

O MOMENTO: golo de Patrick, minuto 50

Jogo de nervos no Bonfim, com o V. Setúbal a precisar desalmadamente dos três pontos mas sem a frieza necessária para os conseguir alcançar. Até que ao minuto 50 Patrick, na marcação de um livre, teve a serenidade que faltara: valeu uma vitória e a saída dos sadinos da zona de despromoção.

OUTROS DESTAQUES

Edinho: sem João Amaral (só entrou aos 74’), habituado a jogar como segundo avançado ou a efetuar diagonais mesmo quando alinha na posição de extremo, faltou-lhe o apoio direto de um companheiro. Mostrou muita resiliência, mas o contexto não era o melhor, até porque André Pereira, lançado para o lugar de Amaral, esteve preferencialmente encostado ao flanco direito. Quase marcou aos 62 num remate violentíssimo que Defendi travou com uma enorme intervenção.

Tomás Podstawski: faz uma boa dupla com José Semedo, ajudando a dar estabilidade ao meio-campo sadino. Com o companheiro mais focado em missões defensivas, procurou ajudar também nas missões ofensivas, protagonizando alguns bons apontamentos. É de uma falta sobre ele que nasce o golo do V. Setúbal.

Assis: soberano nas missões defensivas, pecou apenas na falta sobre Podstawski que originou o golo de Patrick na marcação do livre. Ajudou, com muitas recuperações de bola, a empurrar o V. Setúbal para a sua zona defensiva numa altura em que os pacenses corriam atrás do prejuízo.