«Espero fazer as coisas bem, cada vez que cá venho, para ter uma oportunidade. Tenho o meu próprio estilo e estou pronto a adaptar-me a tudo o que o técnico pedir. Estou para somar [a internacionalização] e ajudar a equipa.»

Encontrar vaga no ataque alvi-celeste não é fácil quando se tem ao lado Messi, Aguero ou Carlito Tévez, mas Licha não desiste de lutar pelo seu lugar. A disponibilidade é total, ainda que seja complicado ser titular. «Sinto-me cómodo em qualquer posição do ataque, embora seja avançado centro de origem. No entanto, há grandes jogadores no meu posto, jogadores de muito nível, o que torna um pouco complicado que jogue», assumiu o goleador dos dragões.

Para Lisandro, a selecção argentina é feita de «muitas individualidades e jogadores dos melhores clubes do mundo», mas todos os atletas convocados se sentem parte integrante de um grupo. «É muito bom que Diego [Maradona] trate todos os jogadores por igual, ele não faz diferenças em nada. Creio que todos se sentem bem com isso, é muito importante.»

Em relação aos próximos jogos da equipa das Pampas, Lisandro acredita que a selecção se mostrará forte. «Creio que, com esta preparação, uma semana de treinos todos juntos, vamos conhecer-nos mais e vamos formar uma grande equipa, o que com certeza se notará dentro do campo».