Maisfutebol

A bola rola na localidade com o maior número de letras na Europa. Não cabe tudo na camisola mas o clube apresenta-se como Clwb Pel Droed Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwllllantysiliogogogoch. No fim, um Football Club para não baralhar as pessoas.

Um golpe publicitário à moda antiga. Em 1860, um cidadão local decidiu alargar o nome oficial da vila para atrair turistas. Resultou em pleno. A linha férrea entre Londres e Holyhead passou a ter um ponto de referência: aquela estação onde o letreiro transmitia algo esquisito, extraordinário, único.

Hoje em dia, é possível encontrar por lá placas com a pronunciação correta. Diz-se Llan-vire-pooll-guin-gill-go-ger-u-chwurn-drob-ooll-llantus-ilio-gogo-goch. E o nome tem signifcado: «St Mary's church in the hollow of the white hazel near a rapid whirlpool and the church of St Tysilio of the red cave» ou, em português, «Igreja de Santa Maria no fundo da aveleira branca perto de um redemoinho rápido e da Igreja de São Tisílio da gruta vermelha». Uma canseira.

Em 1899, o País de Gales viu nascer o clube de futebol daquela localidade. Primeiro como Llanfair Rovers, depois com todo o manancial de vocabulário empregue na fórmula mais extensa.

O clube com o nome mais comprido da Europa

O Clwb Pel Droed Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwllllantysiliogogogoch Football Club apresenta-se como o emblema «com o nome mais comprido da Europa». São amadores e jogam na Lock Stock Welsh Alliance Football League. Têm orgulho na designação.

«É algo que toda a gente associa ao clube e isso deixa-nos muito orgulhosos. O nosso nome diferencia-nos de todos os outros clubes da Europa», frisa Steve Smith, jogador e dirigente.

Em entrevista ao Maisfutebol, Smith aplaude o anónimo inventor do conceito. «A vila, originalmente, era apenas conhecida como Llanfairpwllgwyngyll. Em 1860, o nome, com parte de uma manobra publicitária, foi alongado para a forma que hoje todos conhecem. Não sei se alguém conseguiria safar-se com uma brincadeira do género no presente!»

«Nasci em Manchester, Inglaterra mas a minha família mudou-se para Bangor, que é perto daqui, quando eu era novo. Portanto, cresci a ouvir este nome», explica.

E você, imaginava torcer por eles?

«Gostaria de perguntar aos vossos leitores se imaginam estar na pele dos nossos adeptos que cantam o nome do clube em todos os jogos», brinca Steve Smith.

Se achar piada à ideia, saiba que o clube tenta nesta altura superar a primeira despromoção da sua história.

«O nosso objetivo é regressar já à Welsh Alliance 1st Division. Ainda não perdemos, em nove jogos, e sofremos apenas cinco golos. Estamos a encarar a descida de forma positiva.»

Eles são totalmente amadores. «Há de tudo, eletricistas, canalizadores, estudantes etc.»

«Ninguém recebe, nem jogadores nem dirigentes. Mas há uma grande dedicação ao clube. Alun Mummery, o secretário do clube, foi nosso jogador em 1959 e continua ligado ao projeto desde então. O nosso treinador Darren Moore está no cargo desde 1998 e eu sou o jogador que estou há mais tempo no clube, estando agora na minha décima época», completa Steve Smith.

A devoção é compreensível. Se você jogasse no Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwllllantysiliogogogoch F.C., quereria mudar?

PS: eles despedem-se com um pedido: gostariam de defrontar um clube português num jogo amigável, no próximo verão. Querem conhecer-nos. E nós a eles.